Cheiro de livro novo: A Seleção

Título: A Seleção
Autora: Kiera Cass
Páginas: 357
Editora: Seguinte
Série: A Seleção #1
Próximo: A Elite
Avaliação: 4/5

Comprei a trilogia em uma promoção há alguns anos. Sempre ouvi muitos elogios sobre a história, então quando vi os três livros sendo vendidos baratinho, não resisti. Mas acabei deixando-os de lado por um bom tempo, porque não queria começar mais uma série. Até que ano passado decidi que já havia esperado o suficiente e resolvi iniciar a leitura.

"— Se sua vida está de pernas para o ar, como você diz, então sua futura esposa está aqui em algum lugar. Pela minha experiência, posso dizer que o amor verdadeiro é geralmente o mais inconveniente."


America vive em um mundo onde, após uma guerra, a China dominou a região que atualmente conhecemos como Estados Unidos. Após um período em que ficou conhecido como República Americana da China, o país conseguiu independência e tornou-se Íllea. No entanto, Íllea é um país jovem, que ainda passa por dificuldades e sofre atentados rebeldes frequentemente.

"(...) Às vezes. as pessoas cometem loucuras quando estão desesperadas."

A sociedade é dividida em castas e cada uma tem sua própria função, ajudando a manter o funcionamento do país. America é da Cinco, o que quer dizer que ela e sua família são artistas. Ela toca e canta em pequenos eventos para os quais é contratada, junto com a mãe. O dinheiro é pouco e nem sempre suficiente para manter tantas bocas alimentadas e a casa aquecida durante o inverno, mas a fome também não é uma presença constante como nas castas inferiores, Seis e Sete.

"(...) era difícil acreditar na quantidade de gente que pensava que eu daria uma boa princesa. Por acaso eu era a única pessoa a ver meus defeitos? Não era refinada. Não sabia ser mandona nem superorganizada. Na verdade eu era egoísta e geniosa, e não gostava de aparecer na frente dos outros. Não era corajosa, e esse emprego exigia coragem. Sim, emprego: não se tratava só de um casamento, mas de um cargo."

Existem pouquíssimas chances de uma pessoa ir para uma casta superior. Uma das formas mais incríveis e que fascinam toda a população é através da Seleção. Acontece apenas quando o príncipe de Íllea atinge a maioridade e deve casar-se com uma plebeia, que torna-se integrante da casta Um, ou seja, a família real. São apenas 35 garotas, sorteadas entre milhares que possuem a idade apropriada.

"— Aproveitem a última noite como uma garota normal. Amanhã, independentemente do que virá, a vida de vocês mudará para sempre. E um conselho antigo, mas valioso: sejam vocês mesmas."

Quando são abertas as inscrições para a Seleção, que irá escolher a futura esposa do príncipe Maxon, todo o país entra em frenesi. A mãe de America está empolgadíssima com a oportunidade da filha mudar de vida. Mas, ao contrário de todas as garotas, America quer ficar longe desse concurso. Acontece que ela vive um romance escondido com Aspen, um Seis que conhece desde pequena. Ela sabe que seus pais, principalmente sua mãe, jamais aprovariam o relacionamento, mas eles estão juntos há dois anos e fazem planos para se casar em breve. Porém, como as coisas nunca acontecem como o desejado, America é uma das escolhidas e então sua vida vira de cabeça para baixo.

"Mas como é que eu tinha ido parar ali? Um mês antes, eu tinha uma porção de certezas na minha vida. Agora, o pouco que conhecia tinha ficado para trás. Casa nova, casta nova, vida nova. Tudo por conta de um pedaço de papel idiota e de uma foto."


America é uma garota divertida, esperta e determinada. Ela se mete em várias algumas enrascadas, porque é muito sincera e não esconde suas emoções. É bem fácil gostar dela. Aspen é um cara legal e sente que não é a pessoa certa para America, mas parece gostar dela de verdade e querer seu bem. Maxon é um fofo! Não sabia muito o que esperar do príncipe, que poderia ser mesmo tudo de ruim, como America pensava, mas desde que apareceu se mostrou um verdadeiro cavalheiro. Sou team Maxon desde o começo! Hahaha Também conhecemos um pouquinho da família de America, que tem problemas como qualquer outra, mas o amor os mantêm firmes. Temos pouco contato com as outras selecionadas, destacando aqui Marlee, que parece realmente ser uma boa amiga, e Celeste, a verdadeira vaca da história.

Eu gostei bastante do enredo. Apesar de parecer mais um romance bobinho com um triângulo amoroso clichê, ainda é uma distopia. O pano de fundo da história mundial e as disputas territoriais são coisas que ainda tiveram bem pouco destaque, mas acredito que nos próximos livros vou descobrir muito mais. Apesar de não parecer ser o principal objetivo dessa trilogia, tenho certeza de que ainda terá muito para me fazer refletir.

"— Não vou mudar tudo em mim para arranjar um cara que nem conheço — eu disse, enquanto em minha cabeça completava a frase com um "e de quem não gosto"
— Nossa, temos alguém especial aqui? — ele disse, como se fosse uma criança.
— E não somos todos especiais?"

A narrativa é toda em primeira pessoa, pelo ponto de vista de America. A diagramação é simples, com fontes bem confortáveis, as páginas são amareladas e os capítulos bem divididos. E essa capa é linda! A editora arrasou na escolha nos três livros da série. Esses vestidos são maravilhosos e a modelo se encaixa bem na minha visão de America. A revisão está excelente, não lembro de ter encontrado erros durante a leitura.




Agora entendo porque essa série virou uma febre entre os leitores. É realmente muito agradável, um leitura bem leve. Eu sei que ainda vão acontecer muitas coisas e estou animada para prosseguir a leitura durante esse ano. É estranho começar a ler uma série que eu já sei como termina (e tem como não saber depois de tanta fama?), mas é interessante ver o desenrolar da trama, principalmente porque America é bem divertida. Mas mesmo que eu não soubesse o final, eu já teria elegido meu favorito. Rsrs E você, já leu A Seleção? Ou é um desses atrasados que nem eu? Haha


logoblog