Cheiro de livro novo: Feed - Conexão Total

Título: Feed - Conexão Total
Autor: M. T. Anderson
Páginas: 256
Editora: Rocco

Esse foi o quarto livro da Maratona Literária #EuTôDeFérias e foi o primeiro que eu meio que me senti obrigada a ler. Infelizmente não me agradou muito. Comprei por apenas dois reais no Projeto Mais Leitura e, por sorte, ele é muito fácil de ler, a leitura flui rápido, as letras são grandes, os capítulos são curtos. A proposta do livro é super interessante, mas o autor falhou na hora de criar uma história.

Titus é um adolescente como outro qualquer nos Estados Unidos de sua época. O mundo já passou por muitos avanços tecnológicos e as pessoas passaram por diversas mudanças em seu estilo de vida, já que estão vivendo em um ano bem à frente de nosso tempo. Agora, as pessoas tem carros que voam (upcars), cada uma tem seu próprio sol em sua casa (podendo escolher quando quer que esteja de dia ou de noite), podem viajar para a lua e até para outros planetas em busca de coisas legais para fazer, e, principalmente, possuem toda a informação presente no que conhecemos hoje como internet pronta para ser usada em um dispositivo acoplado no seu cérebro.

"Eu estava pensando que, às vezes, quando a gente tenta dizer a coisa certa às pessoas, é como uma neurocirurgia, e a gente tem que beliscar exatamente o ponto certo no lobo cerebral."

O feed, como é chamado esse dispositivo, após ser instalado, passa a fazer parte do seu corpo. Com ele, é possível ter chats "telepáticos" com os amigos, assistir aos seus programas favoritos, ter acesso a qualquer informação que se queira, como dicionários, enciclopédias e outras coisas, e, o mais importante, estar sempre por dentro da última moda e receber ofertas de promoções incríveis, que você pode aproveitar simplesmente com um comando do seu cérebro, e qualquer coisa que você queira comprar rapidamente chega até você. O feed analisa seus pensamentos e define que tipo de consumidor você é, determinando assim quais produtos te interessariam mais e jorrando o tempo todo vários tipos de anúncios de objetos que você talvez nem precise. Com isso, contribui para o maior domínio das grandes corporações e uma maior uniformidade de gostos da população.

"Não sei quando os feeds apareceram. Talvez cinquenta ou cem anos atrás. Antes disso, as pessoas tinham de usar as mãos e os olhos. Os computadores ficavam todos fora do corpo. (...)
As pessoas ficaram muito empolgadas quando usaram o feed pela primeira vez. (...) Essa é uma das grandes coisas no feed - você pode ser superinteligente sem ter trabalho nenhum. Agora todo o mundo é superinteligente. (...)
...tudo o que acontece, acontece no feed. Todas as transmissões em rede, os noticiários, tudo está lá (...)
Mas a coisa que é demais no feed, o que o torna ótimo mesmo, é que ele sabe tudo o que você quer e deseja, às vezes antes mesmo de você saber que coisas são."

Um dia, Titus vai à lua com seus amigos, para tentarem se divertir um pouco nas férias. Lá ele acaba conhecendo Violet, uma garota diferente de todas as outras pessoas que ele conhece. Ela teve seu feed instalado quando já era mais velha, diferentemente da maioria das crianças, portanto sabia como era não ter aquele negócio no cérebro dizendo o que é melhor para você. Ela reconhece as vantagens de ter um mundo de informações dentro da cabeça, mas ela também se preocupa com o quanto as pessoas estão se transformando com essas facilidades e no quanto o planeta está sofrendo com a ação dos humanos. Ela teve uma criação diferente e percebe o poder de controle que o feed possui.

"Quando você tem um feed a vida toda, é criado para não pensar nas coisas. (...) Por causa do feed, estamos criando um país de idiotas. Idiotas ignorantes e autocentrados."

Enquanto Titus, os outros e Violet tentam interagir e se divertir, acontece um acidente e eles precisam ficar no hospital por alguns dias, com o feed desconectado. Ela e Titus iniciam um romance, apesar de seus amigos a acharem estranha demais. A partir dessa experiência, Violet resolve lutar contra o feed e conhecer mais sobre os acontecimentos pelo mundo, mas ela não sabe que consequências isso pode trazer para uma pessoa que teve o feed instalado numa idade mais avançada.

"O feed está ligado a tudo. Seu controle corporal, suas emoções, sua memória. Tudo."

Como eu disse, a proposta do livro é bastante interessante. O autor claramente faz uma crítica ao consumismo desenfreado, ao domínio que as grandes empresas tem sobre nossas necessidades, no quanto as propagandas nos influenciam a comprar coisas de que não precisamos. Ele ainda deixa claro que essa expansão capitalista é maléfica para todo o mundo e que está destruindo o meio-ambiente. O livro tinha tudo para ser ótimo, mas faltou o essencial: uma história interessante. Ele criou um mundo incrível, uma personagem interessante, mas não soube como encaixar as coisas. Então o livro acabou não sendo bom, não passando de um punhado de frases para nos fazer refletir que ficaram jogadas no meio de acontecimentos aleatórios da vida de Titus.
Além disso, não gostei dos personagens, apenas Violet conseguiu me conquistar um pouco. Eu entendi que o autor quis fazer os personagens de forma a parecerem bem imbecis, para mostrar que, apesar de terem todo o conhecimento do mundo ao seu alcance, não ligavam para isso e só queriam saber de consumir e se divertir, tornando-se completos idiotas. Mas eles são MUITO idiotas, e isso me irritou profundamente. Eles não falam coisa com coisa, falam um monte de besteira. Perderam totalmente a capacidade de se comunicar decentemente. O autor queria passar isso, mas acabou tornando os personagens chatos.
Enfim, essa foi a minha opinião. Eu estava esperando bem mais da história. Se alguém mais leu e tiver gostado do livro, por favor, deixe seu ponto de vista! rs


Maratona:
Primeiro livro: Os contos de Beedle, o bardo
Segundo livro: O lado bom da vida
Terceiro livro: Morte nas nuvens
logoblog