Livros *----* Flores Partidas

Título: Flores Partidas
Autora: Karin Slaughter
Páginas: 464
Editora: HarperCollins Brasil
Avaliação: 5/5

Eu sou apaixonada pelo gênero thriller psicológico e depois de ler Garota Exemplar e Garota do Trem, comecei a procurar outros livros similares e adicionei vários à minha lista de leituras, Flores Partidas foi um deles. Comecei a lê-lo com grandes expectativas, mas não por conhecer a autora, por que não era o caso, eu simplesmente estava com muita vontade de ler um livro do gênero e me ver completamente imersa na história. Felizmente, minhas expectativas foram alcançadas com sucesso.

O livro conta a história de duas mulheres: Lydia e Claire, elas são irmãs, mas faz anos que não mantém contato algum, desde quando Lydia acusou o cunhado de tentar estuprá-la e ninguém acreditou nela. Acontece que Lydia estava passando por uma fase bem conturbada, ela estava viciada em drogas e já havia roubado sua família algumas vezes para sustentar o vício. Não foi difícil acreditar que ela estava mentindo e afastá-la do convívio familiar. Mas, a verdade é que a família Carroll foi despedaçada antes mesmo disso acontecer, quando a filha mais velha, Julia Carroll, desapareceu. O casamento dos seus pais foi o primeiro a ser destruído, as irmãs de Julia, Lydia e Claire viveram como puderam e anos depois foi seu pai quem se suicidou.

"Como meu pai, dediquei a vida a tratar de animais, mas foi a primeira vez que estabeleci a ligação entre as coisas terríveis que as pessoas fazem com os animais e coisas ainda piores que fazem com outros seres humanos."

Lydia acabou conseguindo superar o vício, tem uma vida estável, uma filha adolescente e namora seu vizinho. Já Claire se casou com o namorado acusado pela irmã. Ela está em liberdade condicional, após cumprir uma pena em regime aberto com tornozeleira eletrônica, quando é assaltada em um beco e vê seu marido ser esfaqueado e morto. Então, quando está voltando do sepultamento, descobre que alguns homens tentaram invadir a sua casa e é abordada por um policial da delegacia de sua cidade e por um agente do FBI. O que um agente do FBI fazia em um caso de roubo ela não sabia dizer, mas para seu terror, logo iria descobrir. Curioso que o mesmo homem que separou as irmãs Caroll no passado seja o responsável por uni-las numa corrida frenética por respostas, onde ninguém é o que parece e não se sabe em quem se pode confiar.

"Claire adorava ter dinheiro poque quando você paga por algo, ninguém pode tirá-lo de você. Será que ela não tinha pago uma quantia suficiente por Paul? Será que não tinha trabalhado o suficiente, amado o suficiente, estado presente o suficiente? Foi por isso que o perdeu?"

Claire é inteligente e observadora, mas também um pouco preguiçosa, ela sempre se acomodou facilmente quando tinha alguém que pudesse fazer algo em seu lugar. Seu marido, Paul, era um bom homem, nunca levantou um único dedo contra ela. Ele era um arquiteto bem sucedido, tinha sua própria empresa e era uma pessoa muito metódica e organizada. O casamento deles funcionava bem, apesar de estar longe de ser perfeito. Entretanto, lidar com sua morte virou a sua vida de cabeça para baixo e conforme Claire começa a encontrar as respostas para seus questionamentos, ela se pergunta se realmente conhecia o homem que vivia ao seu lado, seria ele uma vítima ou um vilão? Saber a resposta será pior ou melhor do que conviver com a dúvida?

"Sinto muito em ser sincera, mas as meninas não gostam de capachos. Principalmente as bonitas, porque não existe novidade. Os caras dão em cima delas o tempo todo. Não podem andar na rua nem comprar café ou ficar paradas num canto sem que um idiota venha fazer um comentário sobre a beleza delas. E elas sorriem porque é mais fácil do mandar os caras se ferrarem. E menos perigoso, porque, quando um homem rejeita uma mulher, ela vai para casa e chora por alguns dias. Se uma mulher rejeita um homem, ele pode estuprá-la e matá-la."

Eu havia lido a sinopse do livro antes de lê-lo, mas confesso fiquei um pouco confusa, porque havia entendido que encontraria um marido controverso e uma irmã problemática. Mas quando comecei a ler o livro encontrei duas irmãs problemáticas, afinal, uma tinha acabado de se livrar de uma tornozeleira eletrônica e a outra tinha um passado bastante tenebroso. Porém, logo vamos encontrando as respostas e ligando os pontos deste grande quebra cabeça, e que quebra cabeça! Há ainda alguns capítulos narrados pelo pai das três meninas, na forma de cartas que ele escreveu à sua filha mais velha, Julia Carrol, depois de seu desaparecimento. São cartas cheias de sentimentos, é de partir o coração.

Flores partidas é um livro pesado, intenso e cruel, que mostra como uma pessoa é capaz de cometer maldades e atrocidades contra outra. Há cenas bastante detalhadas e se você se considera uma pessoa de estômago fraco, talvez seja melhor repensar esta leitura. O mais curioso é que não temos uma grande revelação ao final do livro, na verdade, está tudo na nossa cara mas não queremos acreditar. De qualquer forma, eu gostei da forma como livro foi concluído e terminei esta leitura já procurando outras publicações da Karin para adicionar à minha lista nada pequena de futuras leituras.

logoblog