Livros *----* Cristãos Secretos


Cristãos Secretos. Autor: Irmão André e AL Jansen. Editora: Vida Páginas:288.

Esse foi o décimo livro do Clube do Livro da minha igreja e logo que vi a capa e o assunto do livro fiquei animada com a leitura. A Igreja perseguida é um assunto que sempre é levantado na minha igreja e apesar de já ter ouvido várias histórias, as vezes tudo parece muito distante de nós e da nossa realidade. Então, conhecer um pouco mais sobre esses irmãos do outro lado do mundo foi uma experiência extremamente impactante.
"Oficialmente naquele país todos tinham o direito de escolher sua religião, mas na realidade isso significava que todos tinham o direito de escolher o islamismo. O Alcorão dizia que todos os que deixassem o islamismo tornavam-se infiéis, e os infiéis deviam ser mortos."
Já li um outro livro do irmão André, O Contrabandista de Deus, que também fala sobre missões, mas naquele livro, ele contava seu testemunho e as missões que fazia nos países soviéticos. Já nesse, o irmão André não é exatamente o personagem principal, ele conta a história de outras pessoas, de muçulmanos que se converteram ao cristianismo em um país onde isso não é permitido, mas mesmo com todas as dificuldades e perseguições, eles não desistem da sua fé. O sofrimento não é pequeno, estou falando de tortura física, ameaças à família, abusos, pré-conceito e muito mais. São nesses momentos que olho a minha volta e vejo quanta liberdade tenho e não aproveito, tenho diversas bíblias a minha disposição, posso orar em voz alta, cantar, falar de Deus e muitas vezes não o faço.
"Como se vê, uma igreja eficiente é também a maior ameça ao islamismo. Se queremos de fato ser luz e sal, seremos atacados."
O livro começa com Ahmed, um jovem muçulmano que não concorda com muitas coisas da sua religião e constantemente tem sonhos apavorantes com as doutrinas do islamismo, até que um amigo seu vai para a faculdade e o desafia a ler a bíblia e conhecer mais sobre o profesta Isa (Jesus). Ahmed aceita o desafio. Mas, as palavras que ele lê o tocam de tal maneira, que ele não consegue ficar quieto. Com tantas perguntas e uma nova fé crescendo dentro de si, sua vontade é de contar a todos ao seu redor o que tem descoberto sobre Isa. Mas sua família se volta contra ele e lhe bate muito para que ele renuncie a Isa e volte para o islã, porém, ele não pode fazer isso, até que consegue fugir.

Nesse mesmo tempo, Butros é chamado por Deus para voltar para sua terra, após terminar a faculdade em Londres. Não é um chamado fácil, pregar num país onde os cristãos são perseguidos e a conversão de um muçulmano é um crime punido com morte, mas é a vontade de Deus e Ele estará com ele. Logo, outros personagens entram na história também, jovens muçulmanos que tem encontros com Deus, jovens cristãos que vivem nesses países, são muitas histórias para conhecer.

O livro nos leva a refletir sobre a nossa conduta como cristão, será que deixaríamos a nossa fé devido à perseguição? Será que estamos dispostos a morrer por Cristo? É muito bizarro quanto ódio existe contra os cristãos nesses países mesmo que não haja razão alguma. Aí eu me perguntei, mas porque esses caras não vão embora, não saem desses países? Mas é porque eles não estão preocupados com as suas vidas, eles sabem que quando morrerem encontrarão o Pai no céu. Eles estão preocupados com as vidas das outras pessoas, dos seus amigos e familiares que ainda não conhecem a Deus.
"-Só existe uma esperança para a igreja exercer impacto sobre a comunidade muçulmana.
-Qual é?
-Amor. Depois de longos anos de guerra e perseguição, os cristãos raramente vêem os muçulmanos como pessoas a quem Deus ama e por quem Cristo morreu[...]"
A leitura foi super atual, afinal acabamos de ver grandes atentados terroristas na França e o ódio e o medo pelos muçulmanos chega a ser palpável em muitos lugares. Mas, eram nesses momentos que o Irmão André pregava palavras de perdão. Não é fácil perdoar, não é fácil amar, mas esse é o evangelho. É loucura para os que estão no mundo, mas para nós é poder de Deus. (1 Coríntios 1:18 )
"O perdão é a força que pode verdadeiramente mudar o mundo."
Mas, nós também temos um papel muito importante nessa guerra e eu não estou falando sobre pegar em armas físicas ou ir até lá pregar, estou falando sobre oração. É o minimo e também é a melhor coisa que podemos fazer. Não pense que sua oração não vai mudar nada, porque a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos (Tiago 5:16) e é a nossa maior arma para lutar contra as forças do mal. 
logoblog