Cheiro de livro novo: A Escolha

Título: A Escolha
Autora: Kiera Cass
Páginas: 347
Editora: Seguinte
Série: A Seleção #3
Anterior: A Elite
Avaliação: 5/5

Boa noite, galerinha! Agora que fui devidamente aprovada e concluí com sucesso minha pós-graduação, estou disponível para me dedicar aos meus passatempos preferidos: ler e escrever no blog! 😄 Então hoje venho trazer a resenha do terceiro livro da série A Seleção, que eu ansiava muito por terminar.

"— (...) quero tudo com você, America. Quero os feriados e os aniversários, as épocas corridas e os finais de semana preguiçosos. Quero manchas feitas por dedos sujos de creme de amendoim na minha mesa de trabalho. Quero piadas internas, brigas e todo o resto. Quero uma vida com você."

America agora está determinada a permanecer na Seleção e conquistar de vez o coração de Maxon. Ainda não se sente segura para tornar-se princesa, mas está disposta a enfrentar seu medo para vivenciar o amor. No entanto, ainda precisa enfrentar desafios e a disputa está bastante acirrada com as outras três concorrentes remanescentes.

"— Não desejar a coroa talvez a torne a melhor pessoa para usá-la." 

Kriss, Celeste e Elise possuem mais influência e contatos, vêm de famílias melhores e seriam princesas mais adequadas do que America. A única coisa que a mantém no palácio é a indecisão de Maxon. Entretanto, isso pode estar prestes a mudar, pois America levou tempo para abrir mão de seu relacionamento com Aspen, e ainda o vê como uma segunda opção. Nesse meio tempo, o príncipe acabou aproximando-se de Kriss e percebeu nela uma garota que merece dedicação especial.

"— E daí? Não importa o que você pensa do seu caráter. Só importa o que você faz com ele. Você, mais que as outras, faz o que é certo antes de pensar nas consequências para si mesma. Maxon tem outras ótimas candidatas lá em cima, mas elas não sujariam as mãos para mudar as coisas. Não como você."

Como se já não bastassem as dificuldades que America precisa enfrentar, ela ainda luta contra a vontade do rei, que tenta de todo jeito sabotar sua participação e fazer com que o filho a elimine. A melhor opção que a garota tem nesse momento é conquistar a preferência da população, para que sua força venha do povo, e, para isso, precisará trabalhar em boas ideias.

"Estava no palácio. E, às vezes, nem sabia por quê. Maxon ainda passava muito tempo com Kriss, mesmo depois de tudo que tinha feito para eu ficar. Do lado de fora, os rebeldes atacavam sem descanso; ali dentro, as palavras frias do rei destruíam minha confiança. Em meio a tudo isso, Aspen ainda me rodeava — um segredo que eu precisava guardar. E as câmeras iam e vinham, roubando pedaços de nossas vidas para entreter as pessoas. Eu estava encurralada por todos os lados, perdendo tudo o que sempre fora importante para mim."

Com a seleção ainda em andamento, os ataques rebeldes estão ficando cada vez mais violentos e não apenas o palácio vem sofrendo com os atentados. As coisas estão ficando fora de controle e Maxon é pressionado a fazer as escolhas corretas para resolver todas as situações. Aliados improváveis irão surgir e acontecimentos inesperados farão a relação de Maxon e America ter altos e baixos. Resta a jovem saber ter as atitudes certas para conseguir manter-se como primeira opção do príncipe e chegar ao final da competição.

"— Para o bem ou para o mal, o público conseguiu captar um pouco do seu verdadeiro caráter esta noite. Agora eles enxergam a garota que protege suas criadas, que levanta a voz até para o rei quando acha que está certa. Aposto que todos verão com outros olhos o dia em que você correu para ajudar Marlee. Antes, você era apenas a garota que gritou comigo no nosso primeiro encontro. Esta noite, você virou a garota que não tem medo dos rebeldes. As pessoas vão pensar em você de um jeito diferente agora."

Fiquei satisfeita por America finalmente ter tomado uma atitude em relação ao que fazer na Seleção, mas ela ainda permanecia com tanta hesitação que de vez em quando me irritava. Mas o que mais me incomodou mesmo foi o rei Clarkson. Como uma pessoa tão ruim e muitas vezes idiota consegue se considerar tão correta? Como uma rainha tão maravilhosa consegue conviver e entender um cara desse? Eu não sei como Maxon se tornou um príncipe tão compreensivo e meigo com uma criação assim, mas fico feliz por ele ter uma personalidade própria. Aspen também me incomodou em alguns momentos, porque ele acabou atrapalhando America. Sinceramente, não entendi algumas coisas. rs A relação de America com as outras meninas da Elite sofreu muitas mudanças durante o livro e o amadurecimento de todas foi visível. Foi uma das melhores coisas de acompanhar na leitura.
Nesse livro nós finalmente temos uma visão mais ampla sobre os rebeldes e conhecemos seus objetivos. Não posso dizer que o foco do livro mudou e se aprofundou nisso, porque o romance sempre foi o principal, mas a política enriqueceu bastante o enredo. Os personagens, principalmente America, precisaram enfrentar desafios que os impeliam a agir rápido e revelar sua verdadeira personalidade. Isso os fez crescer mais do que nos dois livros anteriores.

"Quando ele me apertou um pouco mais forte, senti que todos os erros haviam sido apagados e restara apenas a essência da nossa relação. Éramos amigos que tinham percebido que não queriam ficar longe um do outro. Éramos diferentes em diversos sentidos, mas, ao mesmo tempo, muito parecidos. Não dava para dizer que nossa relação era obra do destino, mas ela parecia mais forte do que qualquer coisa que eu já tinha vivido antes."

O livro é todo narrado em primeira pessoa por America e a escrita da autora é muito fluida. A diagramação é igual a dos outros volumes, com fontes confortáveis em páginas amarelas e pequenos detalhes de coroa no início de cada capítulo. A editora fez um trabalho excelente de revisão e não lembro de observar erros durante a leitura.
Eu tenho que dizer que amei o final dessa trilogia, que apesar de já saber com quem America ficaria, ainda assim me surpreendi muito com o desenrolar das coisas. Tiveram muitas emoções! haha Valeu muito a leitura, foi gostosa e divertida, muito leve e empolgante. Senti falta de ter um maior aprofundamento no pano de fundo, na parte distópica em si, mas isso é coisa minha mesmo, porque não percebi nenhum furo na história. Só queria mais mesmo. E agora estou muito tentada a ler A Herdeira somente para ter um pouquinho mais desses personagens queridos e saber como ficou Illéa depois de tanto tempo... Mas já vi tantas críticas negativas sobre esse livro que estou bem desmotivada. Se você já tiver lido, aceito opiniões! haha



Leia também:
Resenha da Isabela
logoblog

Nenhum comentário:

Postar um comentário