Cheiro de livro novo: A Elite

Título: A Elite
Autora: Kiera Cass
Páginas: 351
Editora: Seguinte
Série: A Seleção #2
Anterior: A Seleção
Próximo: A Escolha
Avaliação: 5/5

Terminei de ler A Seleção curiosíssima para já pegar o seguinte para ler, porém me contive e só pude realizar a leitura agora. Essa série definitivamente me conquistou, a escrita é muito fluida e só demorei tanto para terminar esse volume porque estou muito enrolada com a monografia. Pretendo concluir a trilogia ainda esse ano, mas preciso estar mais tranquila nos meus afazeres, porque quero ser capaz de devorar o terceiro livro de uma vez. haha

"— Como é amar? (...)
— É a coisa mais maravilhosa e terrível que pode acontecer com você — afirmou com simplicidade. — Você sabe que encontrou algo incrível e quer levá-lo para sempre consigo. E um segundo depois de ter aquilo, você fica com medo de perder.

Deixei escapar um suspiro. Ela estava completamente certa.
O amor é um medo belo."

America está definitivamente dentro da competição. Agora restam apenas seis concorrentes, que fazem parte do seleto grupo de Elite do reino, e a disputa pelo coração do príncipe Maxon está acirradíssima. No entanto, America sabe que a vitória pode ser dela, basta dizer sim ao herdeiro de Illéa. Infelizmente as coisas não são tão simples para a jovem, já que seu coração sempre bate mais forte quando encontra o soldado Aspen, seu antigo namorado, pelo castelo.

"— Às vezes, acho que Maxon e eu somos a sua Seleção particular. Somos apenas ele e eu: um de nós vai ficar com você no final. Não sei quem está na pior situação."

Apesar de estar dividida entre os dois amores, já que ela agora se rendeu aos encantos de Maxon e admite sentir algo pelo rapaz, a questão não é apenas quem seu coração escolherá. Optar por ficar com o príncipe trará junto todas as responsabilidades da coroa, e ela nem de longe se sente preparada para tornar-se princesa, que dirá virar rainha um dia. É uma decisão muito séria.

"Nunca tinha imaginado que isso era possível. Como eu, America Singer — uma Cinco, uma ninguém — fui me apaixonar por Maxon Schreave, um casta Um, 'o' Um? Como isso tinha acontecido comigo, que tinha passado os últimos dois anos me preparando para uma vida de Seis?"

America gostaria de ter todo o tempo do mundo para escolher seu futuro, enquanto aproveita as comodidades do palácio, a amizade com suas criadas e a companhia de dois homens que fazem tudo por ela. Porém, o príncipe está sendo cada vez mais pressionado para fazer sua escolha, e ela sabe que não pode se dar ao luxo de fazê-lo esperar muito mais.

"Era impossível. Eu tinha que escolher. Aspen ou Maxon?

Mas como decidir entre duas boas opções? Como decidir se qualquer escolha deixaria parte de mim destruída?"

Os ataques dos rebeldes também estão se intensificando. Tudo indica que eles desejam o fim da Seleção. Mas por que essas pessoas lutariam por uma causa que parece tão sem sentido? O que eles realmente almejam? Além disso, o que será que os governantes escondem que poderia gerar esses ataques?

"(...) Permitir que pessoas incapazes tenham inúmeros privilégios e suprimir aqueles que poderiam ser as mentes mais brilhantes do mundo em nome de um sistema arcaico de organização é algo muito cruel. Apenas nos impede de sermos melhores, de chegarmos ao nosso máximo."

Perdida em meio a tantos questionamentos e indecisões, America sente o tempo passando enquanto não consegue organizar seus pensamentos. Enquanto isso, as outras garotas ganham espaço e a possibilidade do príncipe ter uma nova favorita torna-se concreta.

"Você tem alma de líder, America. Você tem uma boa cabeça; tem vontade de aprender; tem ainda o que talvez seja mais importante: compaixão. Isso é algo de que esse país carece mais do que você imagina."

Minha opinião sobre os personagens não sofreu muitas mudanças durante essa leitura, apenas me aproximei mais deles. A indecisão de America algumas vezes é bem irritante, mas eu entendo sua hesitação em aceitar a coroa. É realmente um passo importante a ser dado na vida e talvez ela seja a única da Elite que realmente veja como tudo irá mudar com essa responsabilidade. Aspen ainda demonstra ter fortes sentimentos por ela, mas eu não consigo aceitar sua decisão de ter terminado com ela no livro anterior... Isso para mim não teria volta. E Maxon continua sendo fofo, mas agora uma pessoa muito mais real. Vemos que ele não é perfeito o tempo todo, ninguém é, e que toda família tem problemas. Queria ter tido mais contato com a família da America, eles são bem legais, principalmente a irmãzinha May. Outras personagens importantes são a Marlee, que se tornou uma amiga próxima de America, e Kriss, talvez a competidora para quem eu mais torça (pelo segundo lugar). hahaha


Nesse livro, pude conhecer mais detalhes sobre a história de Illéa. Detalhes que nem mesmo a população conhece. Assim começam a ser traçados os problemas que sempre existem nas distopias. Ainda estou longe de saber o que realmente se passa no país, mas sei que terão muitas revelações no próximo volume. Fico curiosa também para saber o que America faria como rainha...

A narrativa se mantém em primeira pessoa, seguindo somente o ponto de vista de America. A diagramação segue o mesmo padrão da anterior, com fontes confortáveis, folhas amareladas e detalhes simples no começo de cada capítulo. Acho essa capa a menos bonita das três, mas ainda assim é muito atrativa. Mais uma vez a revisão foi excelente, não lembro de ter lido nenhum erro.

Essa foi uma leitura bem relaxante, porque é muito leve e fluida, bem gostosinha. Me deixava curiosa ao ponto de querer chegar logo no final, mas ao mesmo tempo não fiquei desesperada e consegui me concentrar em outras coisas que precisava fazer (como escrever a monografia 😪 haha). Agora preciso muito ler logo o último volume, mas estou aguardando o momento certo para poder engrenar na leitura. E continuo sendo #TeamMaxon ❤️



Leia também:
Resenha da Isabela
logoblog

Nenhum comentário:

Postar um comentário