Livros *----* As Marcas Diabólicas

As Marcas Diabólicas. Douglas Preston. Páginas: 572. Editora: Rocco.

Comprei esse livro no projeto Mais Leitura. A Pri também tem ele e o leu há um tempo atrás. Desde então, ela vive me mandando lê-lo, até porque ela sabe que eu adoro mistérios. Eu não estava muito animada para realizar a leitura porque ele é bem grosso e o título passa um medinho também. Mas, ela insistiu tanto que acabei cedendo.

Groove é um crítico de artes que vive uma vida completamente desregrada, um homem sem pudor ou equilíbrio. Até que ele é encontrado morto pela empregada, mas as circunstâncias são um tanto quanto tenebrosas. Pois ele estava trancado no quarto, deitado em sua cama e seu corpo parece ter sofrido combustão espontânea, queimado de dentro para fora sem que nenhuma parte do quarto ou da casa tenha sofrido queimaduras, além disso há um cheiro forte de enxofre e uma marca de casco de cavalo no quarto. E, ele havia tentado contatar um padre conhecido pouco antes de sua morte. Teria o crime sido cometido pelo demônio?

Pendergast, um agente do FBI, acredita que não. Ele se intromete na investigação do polícia local e acaba encontrando um velho conhecido, o sargento D'Agosta. Então, os dois começam a trabalhar no caso começando pelas pessoas que haviam jantado com Groove na noite anterior.

"-Não há nada de misterioso no mal, sr. Pendergast. Está aqui, ao nosso redor. Posso observá-lo todos os dias. E duvido de que o verdadeiro demônio, qualquer que seja a forma que assumir, gostaria de atrair uma atenção tão indesejável para sua maneira de agir."

Pouco depois acontece uma outra morte bem parecida com a primeira, desta vez na cidade de Nova York. Nao passa muito tempo até eles  descobrirem que um ritual foi realizado há trinta anos atrás entre quatro jovens. Estaria o demônio cobrando o preço de suas almas ou seria essa uma amostra do fim dos tempos? Há muita especulação e o ocorrido começa a chamar a atenção da imprensa e de pessoas religiosas, sejam elas cristãos ou satanistas. Se forma uma grande aglomeração próximo ao prédio da segunda vitima. É quando Pendergast e D'Agosta começam a seguir uma pista que os leva até a Itália enquanto a capitã da polícia de NY, Laura Hayward, fica no controle da investigação nos EUA.

"-Sou budista. O único demônio em que acreditamos é o que está dentro do coração humano."

Pendergast é um homem excêntrico e muito inteligente, me lembrou um pouco do Sherlock. Pois, assim como o detetive, ele gosta de manter suas suspeitas consigo até o último segundo. Para, segundo ele, não influenciar o julgamento dos seus parceiros. O que é um tanto quanto irritante e D'Agosta concorda comigo. D'Agosta (eu só conseguia chamá-lo de D'Augusta) é um ótimo policial, ele era tenente na policia de NY, mas há um tempo atrás resolveu se tornar escritor e viver uma vida mais tranquila. Isso lhe custou a carreira e o casamento. Seus planos não deram certo e quando ele resolveu voltar a antiga vida, tudo que conseguiu foi o cargo de sargento na delegacia de Southampton. Subestimado e desvalorizado na delegacia onde trabalha, vê sua sorte mudar ao encontrar-se com o velho amigo Pendergast na cena de uma crime bizarro. Já Laura é uma mulher independente, não é fácil ser mulher na sua profissão, então ela precisou aprender a ser firme e incisiva. Ainda surgem outros personagens na história, mas esses são os mais importantes e os primeiros que vocês conhecerão.

"Não importa se você é um banqueiro de Wall Street ou trabalhador migrante de Amarillo, a morte não tem preconceito. Grande ou pequeno, rico ou pobre, a morte virá para todos nós."

O mistério é muito bem construído e não consegui enxergar a maioria das motivações e pontos críticos antes deles serem revelados pelo autor. Mas, achei o final um pouco forçado, ficou parecendo um daqueles filmes de ação mentirosos. Isso foi o que fez com que eu não desse 5 estrelas para o livro. Apesar disso, gostei da forma como o autor mexe com o sobrenatural e como isso permeia a história, nos deixando sempre com aquela pulga atrás da orelha, sem saber se ele vai ou não usá-la. Esse livro faz parte de um série de mistérios com o Pendergast, sendo o 5° livro de uma serie de 13 com o agente. Mas também pode ser lido como o primeiro de uma subsérie onde ele é parceiro do policial D'Agosta. Marcas Diabólicas também é encontrado sob o título "Enxofre" e o próximo livro é "Dança da Morte", que já está aqui na minha estante esperando para ser lido graças a uma troca do Skoob. ❤

"-É um antigo provérbio napolitano. Você precisa de um coração forte para resistir às carícias do demônio."

Leia também:
logoblog