Cheiro de livro novo: De Repente, Ana

Título: De Repente, Ana
Autora: Marina Carvalho
Páginas: 317
Editora: Novas Páginas (Novo Conceito)
Série: Simplesmente Ana #2
Próximo: Elena - A Filha da Princesa
Avaliação: 3/5

Faz uns cinco anos que eu li Simplesmente Ana e lembro de ter gostado bastante da história, mas realmente não lembro de praticamente nada do que acontece. No entanto, tinha muita vontade de ler a sequência e comprei De Repente, Ana na Bienal de 2017. Mas, como sempre, demorei vários anos para realizar a leitura. E preciso confessar que talvez ter demorado tanto tenha feito com que eu me decepcionasse com o que encontrei...

"Porque a Ana é assim: transparente, verdadeira e apaixonada — pela vida, por tudo."

Ana Carina assumiu de vez como princesa da Krósvia e agora está habituada a vida que decidiu seguir. Tem um trabalho tranquilo, continua a fazer companhia para as meninas do orfanato quando pode e está sempre às voltas com todas as atividades que uma princesa deve exercer. Nesse meio tempo, ainda precisa aproveitar um pouco a vida com o namorado, Alexander, enteado de seu pai.

"A vida é mesmo estranha. De repente ela dá uma guinada e pega todo mundo despreparado, para o bem ou para o mal."

Faz pouco mais de dois anos que tudo mudou na rotina de Ana, e a vida na realeza da Krósvia permite pouco espaço para respirar. Por isso, ela e Alex resolveram fazer uma viagem ao Brasil e aproveitar por um tempinho a anonimidade. Porém, no final dessa viagem maravilhosa que tinha tudo para ser um sonho, os dois recebem uma notícia chocante: o rei Andrej sofreu um acidente de helicóptero e foi hospitalizado em estado grave, podendo não resistir.

"(...) quando as coisas estão tão ruins a ponto de parecer sem solução, a vida dá uma guinada para provar que não há nada definitivo neste mundo, exceto a morte."

Mais uma vez, de uma hora para a outra, a vida de Ana vira de cabeça para baixo. Tendo que lidar com o sofrimento do pai internado, ela ainda precisa aprender como ser rainha, pois agora quem vai assumir o comando da Krósvia no lugar de Andrej é ela, a única herdeira. E ela sabe que não vai ser fácil, já que há pouco descobriu como ser princesa. Nem de longe estava pronta para o trono.

"Minha avó vivia proclamando pelos cantos que a ignorância é o melhor caminho para a felicidade. Sempre retruquei. Afinal, a falta de conhecimento faz das pessoas cordeirinhos das outras. Mas eu estava começando a pensar na hipótese de concordar com vovó."

Com uma equipe bem preparada e sua dedicação, Ana poderia ser uma boa soberana. Mas o poder também desperta a ganância dos inimigos e ela corre sério perigo. Para completar o caos, a ex-namorada de Alex retorna disposta a incomodar. Será que Ana vai conseguir ter jogo de cintura para lidar com tantas situações adversas, enquanto reza pela recuperação do pai?

"Ainda que tudo em minha vida entrasse pelo cano, se Alex e eu nos mantivéssemos juntos, eu diria que sou uma sortuda."

Ana Carina é uma mulher independente e carismática. Bem enrolada em alguns momentos, mas também bastante engraçada. É uma pessoa simples, faz aquele tipo de princesa que não sabe como se portar, mas é adorada pelo povo. Alex ama demais a Ana, não tem como não ver isso, mas ele não é o tipo de personagem masculino que me agrada, e talvez esse tenha sido o fator que pesou mais na minha opinião sobre o livro. Ele é bastante impaciente, chegando a ser agressivo na forma de falar e se portar, e extremamente ciumento. E essa atitude impulsiva não passa mais batida para mim, é o tipo de coisa que não gosto em um homem e, sério, me irritou muito em boa parte do livro. Faltou muita maturidade, para ambos, em como lidar com o relacionamento. Sendo que os dois não são mais adolescentes, então não dava para relevar tudo que faziam sem pensar.

O enredo é bem clichê, mas até que tiveram umas reviravoltas interessantes. Apesar do leitor já conseguir prever o que ia acontecer na maioria das situações, ainda assim consegui ficar ansiosa pela Ana e também me divertir com seu jeitinho de lidar com as atribulações. É uma leitura muito leve, mesmo que tenha algumas partes mais tensas na história que tornam o livro mais sério do que o volume anterior.

"— Entenda uma coisa, Ana: quando as pessoas se amam, elas compartilham tudo, inclusive seus problemas, porque sabem que podem contar umas com as outras."

O livro é narrado por dois pontos de vista que se alternam: o de Ana e o de Alex. Gostei da forma como a autora resolveu dividir dessa vez, porque conseguimos conhecer melhor o namorado de Ana (não que isso tenha contribuído muito para melhorar o que eu pensava dele durante a leitura rs), além de podermos acompanhar alguns acontecimentos diferentes quando eles estavam separados.

A diagramação do livro está muito bem feita, as fontes usadas são confortáveis, o livro é bonito, com capítulos bem divididos e páginas de tons diferentes de acordo com o personagem que está narrando. A revisão também está boa, lembro de encontrar pouquíssimos erros de digitação durante a leitura. A capa segue o mesmo estilo da anterior, com um ar mais moderno e sério, mas gosto mais da primeira. Haha

Por fim, foi uma boa leitura, me entreteu, mas eu tinha bastante expectativa e me senti um pouco frustrada com o que encontrei. Talvez eu que já tenha mudado demais desde que li o primeiro livro, mas admito que os personagens não me conquistaram dessa vez e a história em si foi bem mediana. Vi que a Marina escreveu mais uma sequência, dessa vez com a filha de Ana e Alex, mas sinceramente... Não tenho curiosidade de ler e por mim a história poderia ter sido encerrada no primeiro volume mesmo. Acho que isso acabou estragando um pouquinho a magia. rs Mas e você, já leu essa série?


Leia também:

logoblog

Nenhum comentário:

Postar um comentário