Cheiro de livro novo: Champion

Título: Champion - Do Caos e da Lenda Surgirá um  Campeão
Autora: Marie Lu
Páginas: 300
Editora: Rocco
Série: Legend #3
Anterior: Prodigy
Avaliação: 5/5

Finalmente pude concluir essa série que me encantou desde as primeiras páginas! Eu estava mega ansiosa para poder ler logo a conclusão da história, desde que li o segundo livro, e já estava decidida a lê-la logo no início desse ano. Então aproveitei a nossa Maratona Literária de fevereiro e escolhi esse livro como "a continuação de uma série".

"Algum dia, você vai aprender que a vida não é sempre o que se quer que ela seja. E que nem sempre se consegue o que se quer. E que existem forças fora do seu controle que farão de você quem você é."


Day e June já passaram por muitas coisas juntos. Coisas boas e, principalmente, ruins, muito ruins. Depois dos últimos acontecimentos em Prodigy, eles estão sem se ver há quase um ano. June está ocupada em sua formação para Primeira Cidadã e Day está morando longe, por dois principais motivos: quer aproveitar o tempo com o irmão, Éden, e quer se manter afastado de June, por causa de sua doença e para não atrapalhar o futuro brilhante dela na República.

"— Você me deixa louco, June! — murmura ele junto ao meu cabelo. — Você é a pessoa mais assustadora, inteligente e corajosa que conheço. Às vezes nem consigo respirar direito porque fico tentando acompanhar o seu ritmo. Nunca vai existir alguém como você. Você sabe disso, não sabe?"

Day ainda não sabe se fez a escolha correta ao apoiar o novo Eleitor meses antes, e ainda está se adaptando à vida que lhe foi dada, mesmo que o tempo seja escasso. Ele sente falta da família, mas fica feliz em ter a companhia do irmão mais novo, que é muito mais esperto e maduro do que lembrava. A única certeza que tem é de que jamais permitiria que o irmão voltasse a ser alvo de experimentos do governo.

June está em um alto cargo do governo, como a preferida de Anden para ser a mais nova Primeira Cidadã. Porém, ela não sabe se é realmente isso que quer da vida. Apesar de gostar da companhia de Anden e de querer fazer o melhor para a população, ela sente falta de estar na frente do exército.

"Sem emoção, qual o sentido de ser humano?"


Então um motivo ruim surge para unir novamente June e Day. A praga espalhou-se rapidamente na frente de batalha das Colônias, logo agora que Anden estava fazendo progresso para encerrar a guerra e fechar um acordo de paz. Acreditando que tudo é um plano da República, as Colônias estão decididas a usar a força bélica total de seus aliados para destruí-la, se não receberem a cura. O problema é que esta não existe e o governo da República está desesperado tentando conseguir reforços, tanto científicos, quanto militares. A última esperança de Anden é que o irmãozinho de Day tenha a resposta que eles procuram. Mas convencer Day a aceitar que levem seu irmão novamente vai ser quase tão impossível quanto achar a cura sem ele.

"— Ninguém vai ser capaz de convencê-lo — respondo, cruzando os braços. — Nem eu. Você diz que eu sou o ponto fraco dele, mas sua maior fraqueza é a família."

Fiquei muito feliz de finalmente concluir a leitura dessa série, e também muito grata a minha amiga que me emprestou os livros. Day e June são personagens marcantes, de quem vou sempre lembrar. É triste pensar em como tudo poderia ser tão diferente para eles, se não fosse esse mundo em que vivem e todos os problemas que afetaram muito o relacionamento. Anden é alguém de quem aprendi a gostar, mas ele não é o Day, então não conquistou minha preferência.

Não posso dizer que fiquei totalmente satisfeita com o final. Eu tinha duas versões de fim da história, uma que seria perfeita e a outra que seria a pior possível, mas que, para mim, era a mais plausível. Então tenho que admitir que gostei do que a autora fez, mesmo não sendo o final ideal. É triste, mas eu já estava me preparando para algo muito pior, então foi bom e me surpreendeu.



"— (...) Essa é uma coisa que você vai aprender quando crescer. Por natureza, os seres humanos são desleais, injustos e fazem vista grossa diante de determinadas situações. É preciso ter cuidado com eles, é preciso encontrar uma forma de fazê-los pensar que todos os caprichos deles estão sendo atendidos. As massas não conseguem se virar sozinhas. Elas precisam de ajuda. Não sabem o que é bom para elas."

Esse livro seguiu o padrão dos outros da série. Teve um ritmo acelerado, aconteceram várias coisas tensas, rolou ação, romance, desespero, e me deixou vidrada até conseguir encerrar a história. A escrita da Marie Lu é viciante. O livro também é narrado tanto pelo ponto de vista de Day quanto de June, sempre em primeira pessoa. A diagramação segue o mesmo formato dos anteriores, com detalhes nas bordas das páginas, no início dos capítulos e fontes diferentes para cada narrador. Essa capa com a flor vermelha, para mim, é a mais bonita das três, mesmo que eu não tenha entendido seu significado.

Por fim, recomendo MUITO essa série para todos que curtem distopias. Foi uma das que eu mais gostei de ler, me senti satisfeita com a resolução de tudo, com as justificativas, com os acontecimentos. Vou sentir falta desses personagens e ficaria muito feliz se voltasse a reencontrá-los em uma nova história. É uma série bem completa e não é cansativa nem repetitiva. Se você ainda não leu, está esperando o quê? 😜



Leia também:
logoblog