Conto: Grito de Guerra

Grito de Guerra. Autor: Rennan Andrade Páginas: 21.
Sinopse: Todos nós já fomos vítimas em algum momento de nossas vidas: vítimas de agressão, de estupro, de racismo, e de preciosas perdas. E se já ficamos marcados quando algo assim acontece uma vez, imagina como ficaríamos se isso passasse a ser regular? Ficaríamos transtornados, sem chão, ou qualquer outro lugar para pisar. Nos sentimos sozinhos, mesmo quando há centenas de pessoas ao redor; e nos sentimos sujos, mesmo com nossa consciência estando limpa. Passando a tomar de um veneno, que transforma o temor em raiva e a coragem em medo, algo que faz a gente querer viver e morrer ao mesmo tempo. A partir dai, chega a pergunta chave: vale tanto a pena viver?
Meu nome é Nicholas. Há algum tempo, eu acreditava que ter amigos é apenas uma questão de tempo e dedicação. Acreditava que, se eu me esforçasse, eu conseguiria tudo e um pouco mais. Hoje, porém, todas essas crenças mudaram, e me trouxeram até aqui: sentado, no chão do meu quarto, segurando uma arma roubada, perguntando-me se atirarei em minha cabeça ou em meu coração.
Um conto por Rennan Andrade, escritor de “A Luz de Cada Mundo” e “Imperfeição”. Quando nunca foi tão difícil fazer uma escolha...

Nicholas é um adolescente tímido e nerd e está cursando o segundo ano do ensino médio, ele se mudou para o Rio de Janeiro junto com seus pais, que vieram em busca de novas oportunidades profissionais. Mas, se as coisas não estavam tão boas em Campinas, onde eles moravam, tudo ficou muito pior para Nicholas no Rj. Seus pais não tem se entendido muito bem e tudo parece estar ruindo mais rápido do que ele possa reagir.

Ao chegar à nova escola, Nicholas não conseguiu se enturmar com os colegas, mas tudo se agrava quando alguns alunos começam a agir com hostilidade contra o rapaz, chegando inclusive a agredi-lo fisicamente. Além disso, o único amigo que ele havia conseguido fazer se mudou há quatro meses e ele não tem conseguindo contatá-lo nem mesmo por telefone. Se sentindo sozinho e sem esperanças, Nicholas se pergunta de vale a pena continuar a viver dessa forma e se a arma roubada que esconde em baixo de sua cama seria capaz de dar alivio à sua alma cansada.

"Foi então que percebi que não havia sido uma boa ideia sair de casa, pois se lá, sozinho, debaixo do meu cobertor, eu me sentia solitário, aqui eu me sentia ainda mais só, já que em casa, eu pelo menos poderia fingir que não tinha ninguém para conversar. No entanto, eu estava num lugar onde havia centenas de pessoas com as quais eu podia falar, mas não o fazia por mais que quisesse. "

Rennan nos apresenta um conto curto e tocante, inspirado em uma história real. Mas, o bullying ainda faz muitas vítimas e o suicídio não ocupa os pensamentos apenas de Nicholas. De acordo com a OMS, 804 mil pessoas cometem suicídio todos os anos e para cada caso fatal há pelo menos outras 20 tentativas fracassadas. A entidade revela que tirar a própria vida é segunda maior causa de óbitos entre pessoas de 15 a 29 anos. O Brasil é o oitavo país em número de suicídios, em 2012, foram registradas 11.821 mortes.*  Isso nos mostra o quanto ainda precisamos falar sobre esse assunto, as vezes tudo o que alguém precisa é de um abraço ou uma palavra de amor, mas estamos tão ocupados com nossas próprias vidas que nem reparamos quando alguém do nosso convívio não vai bem. Precisamos nos importar mais uns com os outros. Não se trata apenas de não fazer o mal a alguém, mas de fazer o bem. 

"Sei que o suicídio não é uma saída para nada e que, por mais funda que seja a depressão, sempre há uma saída. Mas por mais que eu soubesse de tudo isso na teoria, na prática, eu estava perdendo minhas forças para continuar acreditando naquilo que eu acreditei desde que nasci."

Grito de Guerra fará parte de uma antologia da contos, chamada, A Verdadeira Morte com lançamento previsto para o mês de novembro. Esse foi o primeiro contato que tive com o trabalho de Rennan e posso dizer que fiquei bastante satisfeita, o autor escreve bem e não encontrei erros de português. Só não gostei da capa, ela até me passou uma mensagem de liberdade que combinou com o conteúdo do conto, mas não gostei da arte que foi utilizada.

Leia também:
 Parceria com Autor #17 Rennan Andrade


*(Fontes: http://goo.gl/dz5z8A e http://goo.gl/wwDgZV)