Cheiro de livro novo: Veneno

Título: Veneno
Autora: Sarah Pinborough
Páginas: 206
Editora: Única
Série: Encantadas #1
Próximo: Feitiço
Avaliação: 3/5

Comprei o box da saga Encantadas em uma promoção pela internet e paguei super barato. Eu gosto muito dessas histórias que inovam e trazem versões diferentes de contos de fadas. Não só em livros, mas em séries também (tanto que assisto Once Upon a Time e Grimm). Mas o box estava fechadinho, abandonado na minha estante, e eu não tinha ideia de quando pegaria para ler, já que tenho várias prioridades. Então eu vi na nossa Maratona Literária de fevereiro a oportunidade perfeita, e encaixei em "o primeiro livro de uma série", já que estava precisando escolher uns livros mais curtos.

"Há certas coisas na vida que mudam você. Aquela era uma verdade tão certa quanto nascer e morrer (...)"


Em Veneno, nós somos apresentados a uma história da Branca de Neve diferente da que estamos acostumados a ver na Disney. A rainha e madrasta má, aproveitando que o rei precisa ir para longe liderar o exército em uma guerra, decide mostrar aos súditos o seu poder, fazendo assim com que todos a temam. Lilith tem raiva do povo, pois amavam a sua antecessora e a respeitavam de uma forma que ela nunca vai conseguir ser respeitada. Então ela decidiu que se a odeiam, pelo menos terão motivos para isso.

"Se é para ser cruel, então admita isso. Abrace isso. Qualquer outra coisa era apenas autoilusão e fraqueza."

Branca de Neve é linda. É a mulher mais linda de todo o reino. Sua pele pálida contrasta com seus cabelos negros, seu corpo de formas curvilíneas e feições delicadas chamam atenção por onde passa. Mas não é apenas pela sua aparência que a princesa encanta a todos. Ela também é meiga, simpática, está sempre próxima à população, principalmente dos anões, escravos que trabalham nas minas, fonte do principal comércio do reino. Ela é mais do que o que esperam de uma princesa, e lembra muito sua mãe, então é simples para o povo a adorar. Além de tudo, ela é completamente livre. E é por isso que a rainha odeia tanto a enteada, um ódio que chega a beirar a insanidade.

"— Ah, não acho que exista outra mulher como nossa Branca de Neve em nenhum reino (...)
— Ela é uma força da natureza. Você vai se acostumar com ela."


A rainha é somente quatro anos mais velha que a princesa, e sempre esteve acostumada a ser admirada por sua incrível beleza glacial. Quando criança, foi educada rigidamente pela avó, para que um dia estivesse preparada para seu futuro. Tornou-se fria, insensível e com sede de poder. Mas ela vê em Branca de Neve a juventude que sempre desejou ter. É isso que motiva suas atitudes.

Apesar das várias tentativas de Branca em ser amigável com a madrasta, Lilith apenas continua a afastando. Até que um dia conhece o caçador, com quem faz um acordo em troca do coração da jovem. 

"Ele tinha aprendido muito sobre magia nas últimas semanas: era mais poderosa que qualquer lâmina. Não que ele tivesse uma. Mas mesmo se tivesse, achava que seria difícil enfiá-la naquela criatura exótica."

Você pode até pensar que já conhece tudo isso, e de fato conhece a essência da história, mas nem tudo é exatamente igual. Branca de Neve é meiga, mas ela está menos para a princesinha frágil que sempre imaginamos, e mais para uma criatura selvagem, curiosa, bela e que faz da liberdade sua principal missão de vida. Lilith é uma pessoa que passou por muitas situações ruins para chegar onde está, mas, na minha opinião, nada justifica a forma como ela age com a enteada. Os anões são legais, são leais à Branca e a veneram, já que ela é a única pessoa que os trata como pessoas normais. Mas no fim, apesar de tê-lo achado bem sem graça inicialmente, o príncipe foi o personagem que mais me surpreendeu.


"Havia montes de mulheres nas histórias que andara lendo e ele aprendera que às vezes elas só precisavam ser deixadas em paz para pensar. Mais histórias teriam tido um final melhor se os homens tivessem visto isso com a mesma clareza que Sonhador."

Sinceramente, eu estava esperando uma história completamente diferente do que encontrei. Achei que seria uma daquelas que nos fazem repensar os motivos dos vilões e até torcer para eles, mas na verdade não é nada disso. É uma narração da história já conhecida de ódio da madrasta pela Branca de Neve, sem nenhum motivo concreto, e o que acontece em decorrência disso. O que difere do clássico infantil é que esse é um livro para adultos. Tem cenas de sexo, tem palavrões e tem violência. A única coisa que me surpreendeu mesmo foi o final, mas não posso dizer que foi de forma positiva.

A narrativa do livro é em terceira pessoa e o ponto de vista varia entre diversos personagens, como Branca, Lilith e o caçador. Sobre a diagramação, está bonita. O livro tem vários detalhes em forma de folha no início e fim dos capítulos, a fonte é confortável para leitura, apesar das páginas serem brancas. Eu comprei a edição econômica, então a capa é de um material frágil e sem orelhas. Também achei a caixa do box muito fraquinha. Além de ter chegado toda amassada por causa da entrega, nem protegeu os livros dentro, que também ficaram um pouco amassados na borda. Por outro lado, a revisão está ótima, não lembro de ter encontrado erros durante a leitura.

Detalhes do livro

"A culpa podia levar uma pessoa à loucura, ele tinha certeza disso."

Ao finalizar o livro, cheguei a conclusão de que me senti decepcionada com a leitura, com a sensação de que fui enganada. Esperava uma história completamente inovadora, mas não era nada disso. Mas admito que senti uma leve curiosidade de ler o próximo para saber o que vai acontecer, porque o final foi um choque. Como os livros são curtos e eu já os tenho mesmo, pretendo terminar a série, mas definitivamente não é uma prioridade para esse ano.

logoblog