Em cartaz: Guardiões da Galáxia - Vol. 2 [Resenha Dupla]

Guardiões da Galáxia - Vol. 2
Duração: 137 min
Direção: James Gunn
Estúdio: Marvel Studios
Distribuição: Walt Disney Studios
Gênero: Aventura, ação, comédia, ficção científica
Classificação: 12 anos
Elenco: Chris Pratt (Peter Quill/Star-Lord), Zoe Saldana (Gamora), Dave Bautista (Drax), Kurt Russell (Ego), Pom Klementieff (Mantis)

Olá galera! Hoje é dia de conferir nossa opinião sobre mais um dos aguardados filmes da Marvel! Para mim, Guardiões da Galáxia - Vol. 1 foi o melhor filme desse universo e eu estava muito empolgada para assistir à sequência. Adianto que estava muito satisfeita ao sair do cinema. 😄 Já eu, Isabela, confesso que não achei o primeiro filme lá tão bom assim, gostei, mas não tanto quanto a Pri. Por isso, não estava tãão animada para conferir o segundo. E, acho que por causa disso, fiquei bastante surpresa com o que encontrei e com o quão satisfeita saí do cinema.


Agora Peter Quill, Gamora, Drax, Rocket e Groot já são oficialmente conhecidos como Guardiões da Galáxia. Eles fazem alguns serviços enquanto tentam conviver com suas imensas diferenças e ser um grupo unido e feliz. O que não é uma tarefa fácil. Então, são contratados por Ayesha, líder dos Soberanos, uma raça inteligente e que se considera a mais perfeita e, por isso, superior às outras. Ô povinho besta! O dever do grupo é proteger baterias poderosas e valiosas de um monstro inter-dimensional. Em troca, será entregue a eles Nebulosa, a irmã de Gamora. Mas, por um deslize de Rocket, (tinha que ser) eles acabam despertando a fúria dos Soberanos e precisam fugir, com milhares de naves soberanas em seu encalço. 

Quando já estavam perdendo as esperanças de que escapariam, surge um misterioso homem que os salva, o que permite que consigam parar em um planeta próximo. O homem revela-se como Ego e diz ser pai de Peter. Curioso para saber quem é seu verdadeiro pai, animado por ser um homem tão poderoso e querendo conhecer sua história, Quill o segue até seu planeta, juntamente com Gamora e Drax.

Enquanto isso, Rocket fica com a nave para consertá-la, junto com baby Groot *----* e supervisionando Nebulosa. O que ninguém imaginava era que os Soberanos não desistiriam tão fácil e contratariam outro grupo para capturá-los. 


Gente, que filme divertido! Eu gostei bastante do desenvolvimento dos personagens e em nenhum momento achei suas participações cansativas. Drax revelou-se extremamente engraçado e nem um pouco violento como eu imaginava. O Drax é muito bobo. Baby Groot, sem dúvida alguma, foi o destaque do filme! Coisinha mais fofa! Siiim! Roubava a cena toda vez que aparecia. Por mim ele poderia continuar bebê para sempre! Os outros foram na medida do esperado. Também foram inseridos os personagens Ego, o poderoso e misterioso pai de Peter, de quem não posso falar muito para não dar spoilers; e Mantis, a insetinha que foi criada pelo Ego, que protagoniza muitas cenas de comédia com o Drax. Ela é muito ingênua, tadinha. Youndu, um personagem para quem eu nunca dei muita bola, retorna com uma certa relevância na história, assim como Nebulosa, a irmã e inimiga de Gamora. Youndu também foi uma surpresa para mim.

A história está muito boa, apesar de achar o vilão um pouco fraco. O filme é divertidíssimo, para rir do início ao fim, com poucos intervalos para respirar. Tem muitas piadas bobas, piadas de duplo sentido, mas não tem como não rir, elas ficaram muito bem encaixadas no enredo e não ficou um humor forçado. Acredito que esse tenha sido o maior acerto do filme, no primeiro longa eu senti que algumas piadas estavam um tanto quanto forçadas, mas dessa vez eles conseguiram torná-las mais naturais. Eu mesma não parava de rir um único minuto.

Os cenários estão lindos, as maquiagens maravilhosas, os efeitos especiais são espetaculares. É muito bom assistir a um filme de ficção científica em que você consiga sentir como se tudo aquilo fosse real. A trilha sonora está bem legal também, como a do anterior, mas eu acho que a do outro ficou mais grudada na minha mente. rs

😍😍😍😍😍😍😍😍
O filme seguiu o modelo do primeiro, com muita comédia, um leve drama e uma pitada mais leve ainda de romance (ainda aguardo o momento em que Gamora se renderá aos encantos do Star-Lord haha - relaxa que eu acho que isso não está muito longe de acontecer, hein rs). Fala sobre relacionamentos: sobre amor, amizade. Mas o principal foco foi a família. Essa tem sido uma tendência cada vez maior nos filmes de ficção e não foi diferente em Guardiões da Galáxia Vol 2. O grupo está tendo que aprender a conviver com suas diferenças e querendo tornar-se uma verdadeira família, ajudando um ao outro sem julgamentos. Mas eles foram criados de formas muito distintas e tiveram diversas experiências de vida, o que às vezes torna isso um desafio. Também aborda a questão da família do Peter e a difícil convivência de Gamora com Nebulosa. São diversas questões interessantes, afinal, não só de piadas vive um filme. haha

Recomendo muito o filme, quem gostou do primeiro certamente irá gostar desse. E não esqueça de ficar até o final, porque são CINCO cenas pós-crédito. Apesar da maioria não ser útil, são divertidas e também dá um gancho para o próximo filme. Os Guardiões retornarão! 💃💃Poisé, tenho reparado uma certa banalização no que diz respeito à cenas pós créditos, daqui a pouco isso vai ficar igual making of de filme do Jackie Chan. Aquela última cena pós crédito foi muito desnecessária, podia muito bem passar sem ela kkkk Já estou curiosa para assistir ao volume 3 e para saber como será a participação deles em Guerra Infinita. Quem mais?? Eu ainda estou um pouco perdida em todo esse drama de joias do infinito e guerras, mas espero conseguir juntar todas as peças até o lançamento de Vingadores 3: Guerra Infinita. Antes disso, ainda teremos os filmes do Homem Aranha, Thor: Ragnarok e do Pantera Negra. Vamos preparar o bolso e quebrar os cofrinhos! kkkk

Teaser:



Trailers:




logoblog