Cheiro de livro novo: Vilões?

Título: Vilões?
Autores: Wesley Mendonça, Ana Magnani, Geiza Pereira, Géssica Marques, Louise Branquinho, Zaqueu José e Noemi Balbino, Simone Pinheiro, Fabrício Alves, Kelvin Henrique, Leandra Suzan, Gabriel Sidney, Janaina Vicente, Michael Vasconcelos, Katerine Grinaldi.
Páginas: 122
Editora: Sinna
Avaliação: 5/5

Olá, leitores! Essa resenha demorou muito, muito mais do que deveria para ser publicada, mas é porque eu estava realmente sem tempo para escrever, apesar de ter lido o livro bem rápido. Recebi em parceria com a Editora Sinna e esse foi o único livro físico que eles enviaram para nós. Eu estava bastante animada para fazer a leitura, apesar de não ser muito fã de contos, porque eles são pequenos e costumam ser superficiais, o que me faz desejar que a história vire um livro. Mas gosto muito de contos de fada e sempre me encanto com as versões inusitadas que criam, então queria muito saber o que todos esses autores tinham imaginado para explicar as histórias dos seres que amamos odiar.


Como esse é um livro de contos, fico um pouco na dúvida sobre como escrever a resenha. De um modo geral, o livro traz, como vocês devem ter percebido, o outro lado dos finais felizes, as histórias dos vilões dos contos de fada que todos conhecemos. O que será que os motivou a tornarem-se maus? O que aconteceu com eles depois do felizes para sempre dos mocinhos? Como eram suas vidas no passado? Será que os mocinhos eram tão bonzinhos, afinal? Cada pessoa gosta de imaginar um desfecho diferente para eles, e alguns autores tiveram a oportunidade de mostrar suas visões para os leitores em 15 contos.

Primeiro, temos uma introdução sobre o Reino Sem Final Feliz, o lugar onde os vilões se refugiam. E então podemos receber um pouco das lembranças de cada um.

O primeiro conto é O Diário de Jorn Brachmann, do autor Fabrício Alves. Em poucas páginas de um diário, podemos conhecer a verdadeira história da madrasta da Branca de Neve, a versão que não foi distorcida pelos irmãos Grimm, que nos é contata por um membro não conhecido da família real. É um conto bem pequeno, mas transmite o quanto uma pessoa pode fazer outra sofrer.

"Mas ressalto que contos são reflexos do homem. Tão volúveis e suscetíveis de 'ajustes' por quem os cria, assim como por quem os ouve."

Morgiana, de Zaqueu José e Noemi Balbino, nos mostra a madrasta de Rapunzel em uma consulta com o psiquiatra. Ela revela toda a história do seu passado e o que a motivou a aprisionar a menina. É um conto trágico, que mostra o quanto a loucura e o amor podem caminhar juntos.

"Com os anos, aprendi que o amor funciona como uma espécie de bomba relógio. Sempre nos arriscamos quando decidimos amar alguém e nunca conseguimos identificar com certeza o momento em que tudo está por acabar."

Leandra Suzan escreveu O Diário de Nancy Tremaine - A Madrasta Má. Nessa história, Lady Nancy revela todos os seus segredos. O que ocorreu em seu passado para tornar-se tão cruel, as dificuldades que passou, por que se casou com o pai da Cinderela e o que aconteceu com ela depois do final que conhecemos. Apesar de ter uma boa dose de fantasia, nesse conto podemos ver que as situações podem moldar uma pessoa para ser má, mas a crueldade precisa já existir dentro dela.

"A culpa é um sentimento realmente estranho, principalmente quando sufoca a vida das pessoas."

Os Filhos da Guerra, da Simone Bizarra, é um conto sobre o Capitão Gancho. Nele conhecemos o passado do Capitão, como ele chegou à Terra do Nunca e o que o motiva a lutar. É um conto bem pequeno e me deixou com a sensação de que poderia ter sido mais bem desenvolvido. Achei o fim um pouco abrupto, queria mais explicações.

A Verdadeira Cinderela é outro conto do Fabrício Alves. A história se passa depois do final que já sabemos. Sob o ponto de vista de uma das meio-irmãs da Cinderela, conhecemos a verdadeira face da princesa que todos consideram ser pura e bondosa. É um conto que mostra o quanto as pessoas podem ser falsas, fingindo ser algo que não são.


A Mais Bela é outro conto sobre a madrasta da Branca de Neve, mas Ana Magnani traz uma versão totalmente nova da história. Qual é o passado dessa mulher, o que aconteceu para que a fizesse desejar tanto a morte de Branca de Neve? Eu achei que esse conto iria me fazer compreender o lado dela, mas na verdade só me fez ter mais dúvidas.

Geiza Pereira escreveu o conto O Final Não Termina Aqui, que é mais uma versão da história da madrasta da Cinderela. Mais uma vez somos apresentados ao passado de Lady Tremaine, tudo que sofreu e como a vida a moldou para que se tornasse a mulher que maltratava Cinderela. Mais uma leitura que não me fez entender o lado do vilão e nem aceitar seus motivos para fazer o que fez.

As Memórias do Capitão Gancho, de Géssica Marques, foi um dos contos que eu mais gostei. Na última batalha do Capitão, ele finalmente revela quem é o verdadeiro vilão dessa história. Gostei muito desse conto porque, além de me surpreender, a autora construiu uma história bem fechadinha, que não deixou pontas soltas, o que mais me incomoda nos contos, apesar de ser bem curtinho.

"— Um herói jamais perde para um vilão! — Gancho revirou os olhos, cansado daquelas frases cheias de heroísmo. A vida não era nem um pouco heroica, e ele sabia muito bem disso."

Magia Oculta é mais um conto sobre a Rainha Má da Branca de Neve, escrito pelo Gabriel Sidney. Nele, a Rainha está presa e acaba revelando um pouco da sua história para um prisioneiro. É um conto que mostra que não devemos acreditar em tudo que ouvimos e que a bondade também pode ser encontrada aonde menos se espera.

"Quando dividimos nossas histórias, podemos nos libertar do passado que ainda nos prende."

A Maldição da Rainha, de Kelvin Henrique, é outro conto da Rainha Má. Descobrimos porque ela precisa matar Branca de Neve e um novo final para a história nos é dado. É um conto bem triste.

"— As mágoas de um coração partido são capazes de fazê-los cometerem insanidades."

Louise Branquinho escreveu Quando a Última Pétala Cair, que, como o nome sugere, é sobre A Bela e a Fera. A história é sob o ponto de vista da bruxa que lançou a maldição no príncipe. É um conto divertido, que não muda a história que já conhecemos, apenas o narrador. É interessante conhecer a versão da bruxa.

"A vida é assim. Uns morrem, outros nascem. Uns alcançam seus objetivos, outros vão embora tentando."

Acho que A Vilã de Todas as Histórias, do Wesley Mendonça, foi o conto que mais gostei do livro. Ele nos trouxe uma nova visão para os contos de fada —  na verdade, para qualquer história. O conto é sobre a vilã suprema. Mas será que ela é mesmo a vilã? Achei o conto bastante inusitado e muito divertido.

O Lobo, de Janaina Vicente, também foi um conto de que gostei muito. Traz uma versão bem original da história da Chapeuzinho Vermelho e gostei muito do romance inserido pela autora.


O conto de Michael Vasconcelos é Espelho, Espelho Meu, mais uma versão da história da vilã de Branca de Neve. Acho que de todos com o mesmo tema, esse foi o que mais gostei. A história ficou bem completa e fiquei satisfeita com a leitura.

"Nunca seria feliz? Os finais felizes não são para os vilões. E ser vilã não significa que era malvada, o destino apenas não tinha reservado outro papel para mim."

Por fim, o conto de Katerine Grinaldi, a organizadora e autora de A Herdeira, Mostrarei o Segredo... é sobre o Barba Azul. Confesso que nunca tinha ouvido falar dele e precisei pesquisar a história original depois, para entender o contexto. Mas gostei muito do conto e também fiquei bem satisfeita com o final.

A resenha ficou enooorme, mas são muitos contos, então não tinha como reduzir. Falei só o mínimo de cada um para saberem o que esperar do livro. Os contos são bem pequenos, alguns tem apenas três páginas, e o livro é super rápido de ler, em algumas horas dá para acabar. Achei bem interessante, os autores são muito criativos e é super legal ver tantas visões diferentes para histórias que já parecem tão conhecidas.

Alguns detalhes: ilustrações, páginas pretas, fonte

A diagramação está maravilhosa, as páginas são amareladas, o livro é cheio de detalhes, cada conto inicia-se em uma capa toda preta (linda!), tem várias ilustrações. Está muito, muito bonito mesmo. Além da capa que achei lindíssima. Encontrei pouquíssimos erros durante a leitura, está tudo muito bem feito.

Então, para quem, assim como eu, curte contos de fada e também gosta de ler versões inovadoras, tenho certeza de que irá adorar esse livro. 😄

logoblog