Livros *----* A Joia

Título: A Joia
Série: A Cidade Solitária #01
Autora: Amy Ewing
Páginas: 352
Editora: LeYa
Avaliação: 5/5



Ganhei esse e-book em uma promoção da Amazon. Eu simplesmente nunca tinha ouvido falar nesse livro, mas a sinopse me interessou, então acabei por escolhê-lo dentre as opções dada pela Amazon. O enredo me lembrou um pouco das séries Eve e A Seleção, e apesar de eu achar a proposta um pouco confusa no inicio, tudo foi sendo explicado no decorrer da leitura, que terminou com uma leitora desesperada para ter a sequencia em mãos.

As substitutas são responsáveis por gerar os filhos da realeza da Jóia e Violet acabou de concluir o seu treinamento. Ela foi aprovada nos três presságios: cor, forma e crescimento, então, será leiloada para as mulheres da Jóia junto com outras 199 garotas. A Cidade Solitária é dividida em 5 círculos: Fumaça, Fazenda, Pantano, Banco e Joia (onde vive a nobreza). Cada dama da Joia tem direito a ter dois filhos, mas uma anomalia genética as impede de gerar suas próprias crianças. Portanto, foi um verdadeiro milagre descobrir que algumas meninas tinham dons especiais e ainda conseguiam gerar os óvulos das mulheres da realeza.

"-Esperança é algo precioso, não é? No entanto, não damos a ela o devido valor até que a perdemos."

Violet é arrematada pela Duquesa do Lago, uma mulher de personalidade forte e difícil convivência. Ela está determinada a ter sua bebê antes de qualquer outra para que ela possa se casar com o filho do Executor e levar a família de volta a posição de maior poder na Joia. Violet nunca desejou ser uma substituta e trocaria todo o luxo, vestidos, jóias e festas da Joia pela liberdade e pela convivência com a sua família, que ela ama de todo o coração. Entretanto, se verá em meio a um jogo de poder e mentiras, em que as damas da alta nobreza lutam com todas as armas, sejam elas lícitas ou não, para conquistar uma reputação e um lugar de destaque na sociedade. Um arranjo que está muito perto de desmoronar.

Apesar das aparentes semelhanças com outras séries do gênero distópico, A Joia alcança sua originalidade e nos prende do inicio ao fim da leitura. Amy nos surpreende diversas vezes ao longo do livro e eu só não gostei muito do romance que ela criou, na verdade estava esperando que ele acontecesse com uma outra pessoa... O romance acabou surgindo e crescendo de forma rápida e inesperada, mas até que ele me convenceu depois que aconteceu, e eu consegui entender o que os atraiu um no outro, não foi aquela coisa: 'por favor parem, vocês não tem nada a ver um com o outro', foi apenas: 'ok, não esperava por isso, mas ok'.

"Você me faz sentir inteira também. Neste lugar que tira algumas partes de nós, você me faz lembrar de quem eu sou. Quem eu era."

Violet é apenas uma menina de dezesseis anos, mas tudo o que já viveu tem lhe feito amadurecer às pressas, como se nunca houvesse tempo suficiente. Todos parecem ter grandes expectativas a seu respeito e ela não pode evitar se sentir um pouco perdida no meio de tudo isso. Ela é forte e teimosa, mas as vezes parece se sentir frustrada por ser tão pequena e insignificante, e por não poder ser quem realmente é ou fazer o que realmente gostaria de fazer, afinal, ela é uma substituta, ela foi vendida em um leilão e agora é uma propriedade da Duquesa. Por fim, posso dizer que o livro superou todas as minhas expectativas e, como disse antes, estou ansiosa para poder continuar acompanhando a série, ainda mais depois do final bombástico como Amy terminou A Joia.

"A sala a minha volta desaparece e tenho uma incrível sensação de libertação, todo o meu ser se altera quando toco. Eu sou a musica, e as cordas e meu corpo são tão ressonantes quanto o violoncelo. Somos um só instrumento, estamos em um lugar onde ninguém pode nos tocar, onde não há Joia ou substitutas, um lugar onde só existe a musica."
logoblog