Conto: O Príncipe Congelado

Título: O Príncipe Congelado
Autor: Raigor L. Ferreira
Páginas: 9
Editora: Publicação independente (Amazon)

Não tenho o costume de ler contos, porque acho eles curtinhos demais, mas como o Raigor é parceiro do blog e a resenha da Isabela me deixou bem curiosa sobre a história, resolvi ler também.

"Diante da morte do pai, algo começou a mudar no príncipe Phelipe. A partir daquele dia, passou a sentir uma frieza incomum em sua pele. Um resfriamento constante que não conseguia conter nem com o mais quente dos cobertores do castelo."

Phelipe é o príncipe do Reino de Arvoredo. Mas ele não é um príncipe como qualquer outro. Desde o falecimento de seu pai, seu corpo começou a mudar, e então passou a sentir um frio constante, impossível de ser aquecido, que foi tornando-se cada vez mais grave. 
O rei sempre fora um homem muito duro e obrigava Phelipe a treinar para as batalhas desde muito pequeno. A rainha, por sua vez, discordava da educação exigida por seu esposo, acreditando que o reino precisaria de um governante diplomático. Mas mesmo após inúmeras discussões, nunca conseguiu convencê-lo. Com a morte do marido, passou a isolar-se, e nem mesmo o príncipe tinha mais contato com a mãe. Com uma vida repleta de tristeza e confinamento, Phelipe ficou cada vez mais frio, até passar a ser conhecido como príncipe congelado por todos em seu reino. Ele se tornou tão gelado, que acabou transformando todo seu reino em um inverno sem fim.
Então, um dia, ele recebe a visita da princesa de fogo, uma moça flamejante, que gosta de viajar pelo mundo conhecendo pessoas e lugares novos. Em um primeiro momento, eles parecem ser o oposto um do outro, mas com o tempo percebem que possuem mais em comum do que poderiam imaginar.

"O rei não conseguia perceber o filho como uma criança. E a rainha divergia de todos os princípios de seu esposo. Por isso, noite após noite, eles discutiam sobre o futuro do garoto. O rei era persistente em afirmar que o príncipe deveria ser um admirável guerreiro. A rainha teimava em defender que o filho deveria ser um representante conciliador para o reino. Sem que fossem capazes de entrar em um acordo, as discussões foram se tornando mais sérias. E o pequeno príncipe presenciava todos os desentendimentos diários de seus pais."

O conto é bem pequenininho e pode ser lido em poucos minutos. O enredo é muito fofinho e os personagens peculiares são capazes de conquistar pessoas de qualquer idade. Apesar de ser uma história voltada para o público infantil, na minha opinião não deve ser tratada como tal. Primeiramente, porque achei a linguagem bastante complexa, com várias palavras que podem ser desconhecidas das crianças. O autor escreve muito bem, mas para crianças a simplicidade costuma ser mais aceita. E segundo, porque a mensagem que o autor passa através de metáforas é muito bonita e profunda. Em tão poucas páginas, ele foi capaz de transmitir várias emoções e mostrar como podemos ser afetados pelas pessoas que nos cercam e a forma como elas nos tratam, sejam elas nossos familiares ou alguém que acabamos de conhecer. Mostra também como o amor é um sentimento importante, capaz de nos moldar e nos tornar melhores.

"A princesa de fogo já tinha conhecido várias coisas em sua vida, mas não havia conhecido até aquele momento como era experimentar de um dos sentimentos mais nobres do mundo: o amor. E o príncipe congelado e a princesa de fogo se deram as mãos, cada um compreendendo o outro em suas características singulares e sendo capazes de manter um afeto muito verdadeiro apesar disso."



Veja também:
Compre o e-book na Amazon
Adicione no Skoob
Parceria com o autor
Facebook do autor