Livros *----* Eterna


Eterna - O Som do Amor. Autora: Bianca Sousa. Páginas: 332. Editora: Amazon.

"Eterna- O Som do Amor" foi escrito pela Bianca Souza, autora parceira daqui do blog e a Priscila fez vários elogios do livro (Resenha dela aqui). Então eu já estava bem curiosa até finalmente pegar o livro para ler. Li pelo aplicativo do Kindle no celular, prefiro mil vezes ler pelo kobo, mas como ele não aceita livros em formato *mobi (formato próprio da Amazon) encarei pelo celular mesmo. Acabou que não foi uma experiência ruim, o aplicativo da Kindle é bem prático e intuitivo.

Cecília é uma pessoa bastante cética, sua religião é a ciência. Ela vive sozinha em Venturado, uma cidadezinha pequena do interior, ama seu trabalho como bioquímica e tem trabalhado arduamente em busca da cura para a morte. Mas, na verdade, o que mais queria era encontrar alguém que lhe desse amor. Até que, na noite do seu aniversário de trinta anos, depois de uma péssima noitada, lhe acontece uma série de acontecimentos estranhos e ela recebe uma oferta um tanto quanto singular. Porém, ao despertar na sua cama no dia seguinte, tudo parece ter sido apenas um sonho bizarro. 

"Mas, por incrível que pareça, ela não era dada a expressar emoções. Guardava-as bem escondidas e seguras em seu cofre secreto. Na alma. Embora tivesse certas pessoas — pessoas tipo Bernardo — que eram irresistíveis e acessavam fácil qualquer combinação de cofre ou coração."

Bernardo Milano não se lembra de muita coisa do seu passado e nem entende muito bem o que está acontecendo com ele. Ele sabe que tinha morrido, mas de algum forma ele voltou e algo o diz que precisa ir para o interior de São Paulo. Lá, encontra Cecília e seu coração parece se encher novamente de vida. Então, ele passa a esperar ansioso por cada manhã, já que durante a noite ele se transforma em um morto-vivo. Pouco a pouco Bernardo vai se lembrando de quem era, um violoncelista, filho do maestro Adônis Milano e da ex-bailarina francesa Angelique, foi assinado na véspera de sua grande estréia no Teatro Municipal. Dividido entre o desejo de vingança e o de amar Cecília, Bernardo precisará fazer algumas escolhas. Deveria ele contar a sua amada o seu segredo?

"Pensar nela fazia com que sentisse algo mesmo naquele estado — como um ponto de luz na escuridão. Poderia um coração morto amar?"

O livro conta ainda com outros personagens, como Tito, Pedro, Caio, dr. Peixoto e Mariana. Pedro foi o personagem de quem mais gostei, ele é engraçado e é o tipo de cara que se mete em qualquer furada por um amigo, só tem que deixar de ser tão atirado com as mulheres... Já a Mari foi aquela personagem irritante, não sei como a Cecília aguentou ela por tanto tempo, ô mulherzinha ruim. Mas, a história é leve e dá pra ler rapidinho. O romance entre Cecília e Bernado acontece bem rápido, mas sei lá, como tudo foi meio sobrenatural, acho que o Bernardo estava meio que enfeitiçado por ela desde que ele acordou do mundo dos mortos... 

"— A questão é o que você sente aqui — falou apontando para o próprio peito e continuou — de modo que não consiga negar aqui. — Nesta hora apontou para a cabeça, pegando Cecília totalmente desprevenida. Não imaginava o dr. Peixoto dizendo coisa tão sentimental — É aquela maldita hora em que, por mais que você tente, não consegue fugir dessa inverdade intricada em você. É uma guerra civil, Cecília. Coração contra mente. E, no final das contas, um sempre perde. O que equivale a todos perderem, já que trabalham para você."

Eu já tinha lido a resenha da Pri, então sabia que a mocinha se apaixonaria por um morto-vivo, mas estava esperando um zumbi mais realista(?), do tipo comedor de cérebros. Mesmo que ele só se transformasse em um comedor de cérebros a noite. O zumbi da Bianca foi muito romântico e limpinho haha. #FicaaDica pra quem curte uma fantasia misturada com romance. Bjinhos.

Resenha Sangue Quente
logoblog