Cheiro de livro novo: Jogador Nº 1

Título: Jogador Nº 1
Autor: Ernest Cline
Páginas: 460
Editora: Leya

Uma amiga da turma do meu namorado emprestou esse livro para ele, falando super bem da história. Eu nunca tinha ouvido falar, mas a sinopse parecia interessante, e meu namorado gostou quando terminou de ler. Então eu não poderia perder a oportunidade e peguei emprestado também.

Wade Watts é um órfão de 18 anos que vive em Oklahoma. Como a maioria dos jovens, está na escola e passa seu tempo livre assistindo à séries, filmes e jogando videogames. Mas em 2044 as coisas estão diferentes na Terra. O planeta está destruído, grande parte da população vive em extrema pobreza, os alimentos estão escassos e há uma terrível crise de combustível, já que o petróleo está praticamente esgotado.
"Minha geração não sabia como era o mundo sem o OASIS. Para nós, ele era muito mais que um jogo ou uma plataforma de entretenimento. Sempre tinha sido parte de nossa vida. Havíamos nascido em um mundo feio, e o OASIS era nosso refúgio de felicidade."
Wade, como todas as pessoas que podem acessar a internet, utiliza o OASIS, o videogame mais famoso do mundo, para escapar da realidade. Consiste em uma plataforma de imersão, que leva os usuários para uma realidade virtual. Possui diversos mundos e lá o jogador pode ser como quiser e fazer o que quiser. As pessoas já não vivem no mundo real. Podem estudar, trabalhar, comprar coisas (inclusive comida) com créditos do jogo, sem precisar sair de casa e viver no mundo como está.
"— Criei o OASIS porque nunca me senti à vontade no mundo real. Eu não sabia como me relacionar com as pessoas. Senti medo durante toda a minha vida. Até eu saber que estava terminando. Foi quando eu percebi que, por mais assustadora e dolorosa que a realidade possa ser, é também o único lugar onde se pode encontrar felicidade de verdade. Porque a realidade é real. Entendeu?"
O criador do OASIS, James Halliday, ao morrer, deixou um testamento que mudou a forma como as pessoas encaravam o jogo. Escondido em algum lugar dentro desse vasto universo, deixou um Easter Egg, e quem o encontrasse se tornaria o dono do jogo e receberia toda a sua fortuna. Bastava apenas achar as três chaves e abrir os três portões. Mas cinco anos se passaram sem que nenhum caça-ovo (as pessoas que procuram pelo ovo) encontrasse nem mesmo a primeira chave.
"Quanto mais aprendia a respeito da vida de Halliday, mais o idolatrava. Ele era um deus entre os geeks, uma über divindade nerd no nível de Gygax, Garriott e Gates. Ele saiu de casa depois de terminar o ensino médio levando apenas sua inteligência e imaginação, e as usou para alcançar fama mundial e reunir uma vasta fortuna. Ele havia criado uma realidade totalmente nova que agora oferecia uma válvula de escape para a maioria da humanidade. E, para coroar, havia transformado seu testamento no maior jogo de videogame de todos os tempos."
Até que Wade finalmente desvenda a primeira dica e encontra a tão procurada chave de cobre. Seu avatar, Parzival, torna-se instantaneamente famoso. A corrida pelo ovo volta a ser o foco de todos. Mas para vencer, Wade precisa ser rápido e esperto, de modo que consiga superar todos os recursos da IOI, a maior empresa de comunicações da Terra. A IOI deseja obter o domínio do OASIS e torná-lo privado, tirando de todas as pessoas que não podem pagar a única felicidade que possuem.
"Ela me mostrou a janela do navegador e a girou. Ali estava o placar do site de Halliday. (...)
Ele estava exatamente da mesma forma que esteve nos últimos cinco anos, com uma diferença. O nome do meu avatar agora ficava no topo da lista, em primeiro lugar (...)
Quando Anorak me deu a Chave de Cobre, eu me tornei o primeiro caça-ovo da história a marcar pontos no concurso. E percebi que como o Placar podia ser visto por todo mundo, meu avatar havia acabado de ficar famoso."
O concurso que Halliday criou é totalmente baseado na cultura pop da década de 1980, e o tempo inteiro faz referências aos jogos, filmes, séries e músicas da época. Wade precisa provar ser um grande conhecedor do final do século XX se quiser ser o primeiro a encontrar o ovo. Além da concorrência dos Seis (os caça-ovos da IOI) e dos perigosos de tornar-se famoso no meio da caçada, Wade ainda deve enfrentar caça-ovos tão bons quanto ele, que também estão há anos na esperança de conseguir vencer. Quem será que chega primeiro nessa competição?
"Na vida real, eu não passava de um ermitão antissocial. Um recluso. Um geek pálido obcecado pela cultura pop. Um introvertido agorafóbico, sem amigos, família ou contato com pessoas. Eu era apenas mais uma alma triste, perdida e solitária, desperdiçando a vida em um videogame. 
Mas não no OASIS. Ali dentro, eu era o grande Parzival. Caça-ovo mundialmente famoso e celebridade internacional. As pessoas pediam meu autógrafo. Eu tinha um fã-clube. (...) Era um ícone da cultura pop, um astro. E nos círculos de caça-ovos eu era a lenda. Mais que isso, um deus."
Wade é um cara esperto e tem uma memória muito, muito boa. Tudo bem que ele tem muito tempo livre também, mas eu nunca conseguiria gravar tantas informações detalhadas quanto ele (e olha que minha memória é boa). Ele também tem um pouco de sorte, o que contribuiu em seus avanços. Não é o personagem mais carismático que existe, mas é bem legal.
Achei a ideia do autor ousada, porque a história se passa em um futuro bem próximo. Normalmente as distopias não revelam a época em que se passam, ou então ocorre em séculos depois do presente. Nesse livro, se passa em 2044, com o lançamento do jogo em 2012 (ou seja, já deveria ter sido lançado rsrs). Além disso, ele foi bastante criativo em não precisar inventar muitas coisas futuristas, já que o foco principal da competição é a década de 80. Ele só precisou utilizar muitas referências de coisas que já existiram. Pode até parecer fácil, escrever uma história toda baseada em uma cultura do passado, nem precisa ter muita imaginação. Mas eu realmente não concordo com isso. Fiquei pensando na quantidade de pesquisa que ele teve que fazer para esse livro, porque usa tantos detalhes de tudo que eu ficava me perguntando quantas pessoas no mundo sabem dessas informações. E ele também criou o mundo real, apesar de não ser muito explorado.
Quem gosta de videogames, principalmente os antigos, e RPG, com certeza vai amar o livro. E vai conseguir visualizar bem melhor do que eu as descrições que o autor fica fazendo. Quem curte os filmes e séries dessa época também vai gostar bastante. Enfim, é um livro para nerds, gamers e quem gosta/viveu nos anos 80. Particularmente, eu fiquei viajando na maioria das referências que Cline usou. Alguns filmes e jogos eu até conhecia, claro, mas não sou tão por dentro dessas coisas. Apesar disso, não achei o livro monótono nem cansativo por causa disso. Achei divertido aprender mais sobre o assunto.
O enredo é bem interessante e o autor soube como deixar o leitor curioso para saber o que aconteceria. Perto do final do livro eu não estava conseguindo aguentar mais de curiosidade para saber quem venceria. Acho que toda a expectativa para o final acabou fazendo com que eu me decepcionasse um pouco. Esperava algo um pouco mais épico, tipo "uaaaau", mas foi tipo "ah, acabou". kkkk Entendem o que quero dizer? Mas mesmo assim gostei muito.
Algumas pessoas podem se incomodar com o fato de a trama não explorar tanto a situação deplorável em que o planeta se encontra, mas o autor realmente não quis dar ênfase para isso, e sim para o jogo e como as pessoas viviam para ele. De certa forma, ele faz suas críticas a sociedade, já que a população prefere viver virtualmente do que enfrentar a realidade. Hoje em dia já encontramos gente assim, e ainda nem temos um jogo de imersão, imagina quando tiver?
Bem gente, acho que já falei demais. haha Espero que tenham gostado da dica. ;)


PS: Vai ter filme desse livro também! Previsão para dezembro de 2017. Vamos aguardar mais novidades. Estou bem curiosa! *-*
logoblog