Livros *----* A Acusada

Título: A Acusada
Autora: Patricia Maiolini
Páginas: 202
Editora: Editora Sinna

Avaliação: 3/5

A Acusada foi publicado pela editora Sinna. Eu participei das primeiras impressões e estava bastante curiosa com o que encontraria.

Marina deixou o Brasil para fazer um intercâmbio no Canadá e assim realizar um de seus maiores sonhos. Ao chegar lá, logo conhece Elisa, sua colega de quarto, uma jovem muito bonita, popular e inteligente que a recebe com simpatia e logo conquista sua amizade. Porém, pouco tempo depois de sua chegada, Elisa é encontrada morta. Marina não consegue evitar se sentir culpada pois percebeu o momento em que a colega deixou pela janela, o alojamento em que dividiam e não a impediu. Mas, o que mais a surpreendeu em toda a situação foi perceber os olhares de acusação lançados em sua direção. Logo a primeira aluna cria coragem para acusá-la verbalmente. Diante disso, Marina decide encontrar ela mesma os responsáveis pela morte de Elisa e assim provar a sua inocência.

"O caos é importante em nossa vida, pois precisamos aprender a lidar com ele e a superá-lo."

Porém, cada nova descoberta apenas aumentam o número de suspeitos e Marina começa a se perguntar quantos segredos mais irá descobrir. Ela, apesar de um pouco tímida é bastante determinada e possui uma personalidade forte, não é qualquer um que consegue intimidá-la. Quanto aos irmãos Thompson, os únicos que parecem estar ao lado da protagonista, não conseguiram me cativar, se Nicholas havia demonstrado um certo charme no incio do livro, isso se perdeu completamente ao longo do enredo, conforme descobríamos mais a respeito do seu caráter. Já, Thomas me irritava desde o início da obra, toda a vez que eu lia "Lindinha" tinha vontade de ranger os dentes. Ele só me pareceu um cara desrespeitoso que não consegue lidar com um "não". 

O livro é curto e bem rápido de ler. Eu o li em apenas um dia, Patrícia soube conduzir a obra de forma a nos manter interessados e curiosos com a conclusão do mistério. Mas, não fiquei plenamente satisfeita com o desenvolvimento do enredo, frequentemente os personagens agiam de forma completamente diferente do esperado, com atitudes difíceis de se imaginar, o que tornava tudo um pouco forçado ou artificial. Por exemplo, se sua filha, que está em outro país, lhe contasse que sua colega de quarto foi morta e ela está sendo acusada de assassinato, o que você faria? Acredito que a primeira reação de uma mãe seria querer trazer a filha de volta para o Brasil. Depois talvez entendesse que isso poderia levantar ainda mais suspeitas, então tentaria convencer a filha a deixar tudo para a polícia e lhe informar de qualquer avanço que fosse feito no caso, mas, de forma alguma, a incentivaria a dar uma de detetive e investigar um assassinato. 

Também fiquei bastante incomodada com a incompetência da polícia canadense, que teve um desempenho um tanto brochante ou até inexistente. Até a brasileira se saía melhor, hein. A escrita da autora também me pareceu um pouco corrida em alguns momentos e acho que ela se perdeu um pouco ao tentar adicionar um novo tema relacionado à assédio sexual, que foi mal desenvolvido, recebendo pouca atenção no enredo, pois acredito que uma situação como essa não poderia ficar para depois em hipótese alguma. Porém, foi uma boa leitura, não encontrei erros de revisão, o mistério é bastante instigante e, se os pontos que mencionei não forem um grande problema para você, imagino que irá apreciar a leitura.

"Meu segredo não era dos piores, mas para mim... não era um simples segredo."

Leia Também:
logoblog