Cheiro de livro novo: Amor e Sangue

Título: Amor e Sangue
Autora: Francine Rossini
Páginas: 371
Editora: Baraúna

A Isabela ganhou esse livro através do Book Tour e me emprestou, já que sabe que sou apaixonada por vampiros. Estava bastante animada para ler uma história nacional sobre esses seres incríveis, e tinha ficado bem curiosa com a resenha que ela fez, mas acabei ficando frustrada com o livro.

Benjamin é um vampiro e foi transformado há mais de um século em uma ocorrência trágica que envolveu sua família, seu melhor amigo e sua futura esposa (por quem seu amigo é apaixonado), que seu pai arranjou quando passavam as férias em Portugal. Depois de problemas e discussões, ele decidiu que usaria suas habilidades para o bem, se recusando a beber sangue humano e viajando pelo mundo matando vampiros que fazem mal às pessoas. Até que é chamado à São Paulo para ajudar seu clã a combater um grupo forte de sanguinários, comandados por um dos vampiros mais poderosos do mundo, que deseja transformar toda a sua família em seres como ele.

"Como poderiam estar felizes com um casamento sem amor? Como poderiam deixar os interesses acima dos sentimentos? Se pudesse jamais casaria sem ter a certeza de que o amor preenchia todo o seu ser."

Cecília é uma menina de 17 anos, boa e estudiosa, que está começando a cursar seu último ano na escola. Ela mora com a mãe e suas duas irmãs mais velhas, agora que seu pai é falecido. Todas ainda estão abaladas com a perda recente, mas tentam seguir com a vida da melhor maneira possível.
Na noite anterior ao primeiro dia de aula, Cecília sonha com um misterioso e lindíssimo rapaz, por quem sente estar apaixonada, mesmo sabendo que não era real. Quando chega na escola, logo se surpreende, pois o mesmo rapaz que estava em seus sonhos agora está estudando no mesmo lugar que ela. Sem conseguir resistir, aproxima-se dele, sabendo que nunca sentiu por ninguém algo parecido com o que sente por ele, apesar de nem conhecê-lo.
Benjamin viu Cecília várias vezes, enquanto a vigiava do perigoso vampiro que persegue sua família, e já sente por ela um amor que imaginava nunca sentir. Mesmo com os riscos e com tantos segredos que precisa guardar, ele acredita que deve investir no que sentem um pelo outro. Assim, eles se entregam rapidamente a esse sentimento.
Ao mesmo tempo, há muitas dificuldades relacionadas a Marcos, o poderoso líder sanguinário, que aguarda o momento certo para se revelar. Benjamin e todo o seu clã precisam estar preparados e dispostos a enfrentar uma guerra que sabem que não demorará para acontecer.

"Não importava onde, nem o perigo que estavam correndo, se Cecília estivesse ao lado de Benjamin podia enfrentar tudo, nada a faria desistir do amor que sentia por ele, nem mesmo a morte seria capaz de separá-los."

Bem, é um livro de vampiros. E, se parar para pensar, é bastante parecido com Crepúsculo. Então, o que poderia ter de errado? Apesar do enredo não ser de todo ruim, diversos fatores me incomodaram, o que me fez ficar frustrada com a história. Primeiro, e acho que o mais importante de todos, o amor. "Nossa, mas como assim o amor te incomodou?", vocês devem estar se perguntando. Gente, é amor demais. Amor para todos os lados, o tempo inteiro e muito rápido! Eu gosto de romances, mas esse livro tinha tanta coisa a mais para focar, mas focou muito no amor. Eu gosto quando o romance é algo secundário na história, e não o ponto principal, ainda mais com toda a trama de guerra entre clãs que tinha como pano de fundo. Além disso, que amor todo é esse entre Cecília e Benjamin?! Eles nem se conhecem e puf! declarações de amor eterno no dia seguinte. Desculpe, mas não consigo engolir essas coisas. E não estou exagerando quando digo que foi no dia seguinte. Sério, é tanto "eu te amo" na história (e não só do casal protagonista, que fique claro), que se tirassem todos, o livro só teria 200 páginas. Eu já estava ficando irritada com tanta melação e história de verdade nada.
Outra coisa que me irritou bastante foram os erros de português. São muitos e a maioria bem óbvia. Faltou uma boa revisão por parte da editora e isso me incomoda bastante. Além dos erros na escrita, tinham muitas vírgulas fora do lugar, e frases muito grandes, com muita informação, que poderiam ter sido mais bem divididas. Tudo isso torna a leitura menos prazerosa. 
O que atrapalhava também eram as mudanças repentinas de ponto de vista, sem nenhum aviso ou separação entre os trechos que mostrassem que quem estava falando era outro personagem. Tem capítulos que mudam o ponto de vista para quase todos os personagens, e isso me confundia muito.
Por fim, o que me fez ficar realmente frustrada com a história foi que eu fiquei esperando desde o início pelo momento em que aconteceria a ação prometida e... acabou. A autora começou a jogar um monte de informações nos capítulos finais, terminou tudo correndo e deixou a tão esperada guerra para o próximo livro. Ou seja, enrolou, enrolou e fez o leitor ficar curioso para ler a continuação. Por isso a questão do amor me irritou tanto também. Ela poderia simplesmente ter diminuído o lenga-lenga romântico e colocado toda a história em um livro só. Eu até fiquei com vontade de saber o que vai acontecer no fim das contas, mas, sinceramente, não sei se gostaria de enfrentar outra leitura como essa só para acabar com minha pequena curiosidade.
Enfim, acho que a história poderia ter sido mais bem construída. Fora todos esses problemas que já comentei, ainda senti falta de algumas explicações, principalmente em relação aos vampiros, que tem um pouco das características clássicas e algumas novas criadas pela autora. O enredo até tinha chance de ser bom, mas acabei me decepcionando. Não gosto de fazer críticas tão negativas, principalmente para autores nacionais que ainda estão iniciando nesse mundo editorial, mas, por todos esses motivos, é um livro que eu não recomendaria, pelo menos até passar por uma boa revisão. E espero que na próxima edição coloquem uma capa mais atrativa também.


O livro que a Isabela recebeu também veio com um conto de 12 páginas da série, A Rosa de Sangue, que conta a história de como uma das personagens do livro tornou-se vampira. Sobre ele, não tenho nada a comentar, apenas que revela um pouco mais de como o clã O sol da meia-noite começou.