FilmexLivro Maze Runner #2 Prova de Fogo


Maze Runner-Prova de Fogo
Ano: 2011 X Lançamento: 17 de setembro de 2015.
Páginas: 400 X Duração: 2h13min.
Dirigido por: Wes Ball X Autor: James Dashner.
Com Dylan O'Brien,  Ki Hong LeeKaya Scodelario X Editora: Vergara & Riba.
Gênero: Ação, Ficção científica, Aventura
Nacionalidade: EUA
Atenção, contem spoiler do filme e livro.

Sinopse: Após escapar do labirinto, Thomas (Dylan O'Brien) e os garotos que o acompanharam em sua fuga da Clareira precisam agora lidar com uma realidade bem diferente: a superfície da Terra foi queimada pelo sol e eles precisam lidar com criaturas disformes chamadas Cranks, que desejam devorá-los vivos. 

Gente, dessa vez eu li o livro antes de ver o filme, como prometido. Resultado? Gostei tanto do livro que estava ansiosíssima pra emendar no terceiro, mas me segurei. Queria pelo menos ver esse filme antes. Ainda estou decidindo se começo a ler o próximo  ou se deixo pra ler perto da estréia da próxima adaptação. Eu assisti o filme no cinema junto com o meu namorado (que ainda não terminou o livro) e um casal de amigos, o único problema é que não parecia ser Maze Runner 2 - Prova de Fogo, pelo menos não o que eu tinha lido, o filme simplesmente não tem nada a ver com o livro, NADA. Se eu disse que eles mudaram muita coisa no primeiro filme, dessa vez eles meteram pé na jaca totalmente. 



Só de assistir ao trailer já dá pra notar algumas diferenças importantes, como o fato deles terem contato com diversos adolescentes, vindo de diferentes labirintos. No livro, o único personagem diferente que eles encontram no complexo é o Aris e o próprio complexo é bem diferente. Além disso, no filme, a Teresa fica o tempo todo com eles, o que por si só já muda muita coisa, e, eles continuaram deixando de fora o lance da telepatia.


Todo o trajeto no deserto acontece por um motivo diferente. No livro, esse é um segundo teste e eles não tem muita escolha a não ser cumprir a missão dada pelo CRUEL. Mas, no filme não, eles fogem do complexo depois de descobrir que o CRUEL está drenando algo do corpo das crianças e então começam a ser perseguidos por eles. Logo, no filme não tem "homem rato", "transportal" e nem aquela parte em que eles andam no escuro até chegar ao deserto, com as bolas de ferro que comem cabeças. Outra diferença é que eles estão em um número bem menor de pessoas, no filme são apenas sete, não vinte.

Mas, a o coisa mais bizarra do filme foi que eles inventaram um grupo chamado Braço Direito, uma resistência que vive nas montanhas, é inimigo do CRUEL e acaba se tornando o objetivo dos clareanos ao fugirem. Já deu pra entender a quantidade de mudanças, né? Fica até difícil lembrar o que sobrou pro filme...

Sobre os personagens, o Jorge é bem mais velho do que eu imaginava e relação dele com a Brenda é mais próxima no filme, quase como  pai e filha. E, imaginava a Brenda com cabelo grande. Mas, apesar de tudo, o filme ficou maneiro e acho que ficou mais fácil de acreditar também. Porque, vocês vão ter que concordar que o livro é meio viajado e tem muita coisa que não é bem explicada, em vários momentos eu ficava em duvida se devia ou não acreditar no que estava lendo, principalmente depois dos corpos desaparecendo no complexo e dos tijolos nas janelas, sempre ficava pensando no que poderia ser tecnologia e no que seria real de fato. O filme não te passa essa duvida, eles realmente parecem estar no mundo real quando estão no deserto. E, cada dia me convenço mais de que o CRUEL é uma organização de psicopatas orgulhosos. Quero saber logo como isso vai terminar e o quais as lembranças que o Thomas esqueceu.

logoblog