Cheiro de livro novo: Coração Artificial

Título: Coração Artificial
Autora: Viviane L. Ribeiro
Páginas: 301
Editora: Multifoco

Oi gente! Faz tempo que não tem uma resenha minha por aqui, né? Ando bastante enrolada com a faculdade, final de período, então estou sem tempo até para ler. Mas hoje, continuando com minha temporada de livros de parceiros, venho com essa resenha. A autora é parceira do blog (leia a parceria com ela aqui), e entrou em contato comigo pelo skoob, me oferecendo o livro em pdf. Eu estava com muita vontade de ler depois da resenha cheia de elogios da Isabela (leia aqui), e, apesar de ficar um pouco relutante para ler pelo computador (já que eu não gosto), aceitei o desafio (para mim né haha). Achei bem interessante, mas ainda não substituo por nada meus queridos livros físicos. rsrs Agora vamos parar de enrolação e falar da história!

"Algumas coisas ficam diferentes depois de uma ruptura, não importa o quanto forte já foi um dia."

Gabriel é um rapaz rico de 19 anos, acostumado a sempre ter tudo o que quer. Seu pai é dono de uma empresa de órgãos artificiais, e deseja que seu filho se torne bioengenheiro, assim como ele, para continuar com os negócios da família. Apesar de odiar bioengenharia, Gabriel está na faculdade pois ainda depende do dinheiro do pai. Ele desconta sua frustração nas corridas de carros de que participa sem que seu pai saiba.

"E é justamente isso que me faz perder a credibilidade da vida; viver sem ver seus sonhos se tornarem realidade, porque existe uma lei que determina que não podemos ter tudo."

Um dia ele acaba esbarrando com Alícia, uma menina alegre, simples e muito inteligente, que está na mesma faculdade que ele pois conseguiu uma bolsa de estudos. Eles não têm nada em comum, mas ela o deixa intrigado. Aos poucos, passam a conviver mais e Gabriel se vê envolvido por essa garota forte e gentil. Começamos a perceber então que ele é muito inseguro e simplesmente não sabe como controlar sua vida, apenas tem se deixado levar todos esses anos, mas, no fundo, gostaria de que tudo fosse bem diferente.

"Ela é olhos brilhantes e inseguros, sorrisos reconfortantes e a voz gentil. E não tem nenhuma ideia sobre o efeito que tem em mim."

Um clima de romance começa a surgir entre os dois e Alícia, com seu jeitinho meigo, sempre querendo aproveitar ao máximo o que a vida tem a oferecer, passa a incentivar Gabriel a se dedicar um pouco mais aos seus sonhos. Quando as coisas parecem estar correndo bem, acontece um acidente e tudo muda. De uma hora para a outra, Alícia não quer mais vê-lo e as pessoas fazem o possível para mantê-los afastados. Ele não sabe o que pode ter acontecido, mas sente-se culpado e começa a pensar que talvez esteja na hora de parar de aceitar calado tudo que impõem a ele e fazer o que acha que seja melhor.

"— Um mesmo presságio para duas pessoas pode significar coisa boa e ruim. — assim como duas pessoas têm concepções diferentes sobre um mesmo pecado. — Em qual deles você acredita?
Alícia molhou a boca e avaliou cada perímetro da palma da sua mão.
— Acho que eu só consigo saber disso no final, não é?"

Até que, quando ele finalmente acredita que as coisas irão melhorar, segredos vêm à tona, fantasmas do passado retornam e ele descobre que, talvez, Alícia não seja tão sincera quanto parecia. Agora Gabriel fica sem saber como agir e precisa encontrar coragem para assumir de vez o controle da sua vida, ou aceitar que não consegue e que será infeliz.

"— Sabe qual é o grande problema da vida?  ela disse.  É não sabermos quando vai ser nossa última respiração, a última ida à padaria ou a última vez que vemos as pessoas que amamos. A vida é tão incerta e viver é tão irônico."

Gostei bastante da história, mas tiveram algumas coisinhas no livro que me incomodaram, como alguns erros na escrita. Também fiquei meio confusa em algumas partes. Não sei se isso acontecia porque eu li pelo computador e, como não estou acostumada, às vezes me perdia no que estava lendo; se foi porque eu estava lendo dois livros ao mesmo tempo e às vezes ficava comparando a história de um com a do outro (não costumo ler mais de um livro por vez, então isso foi mais uma novidade para mim rsrs); ou se foi porque em alguns momentos a história simplesmente ficou pouco confusa. Achei o final particularmente confuso, mas ele acabou me surpreendendo. Foram acontecendo coisas que eu não esperava na história, mas eu gostei. Só acho que alguns temas poderiam ter sido mais explorados, como os órgãos artificiais (queria saber mais sobre eles. O que eu posso fazer se gosto de biologia? *-*) e a relação do Gabriel com a mãe. A história foi muito voltada para o romance dos dois e os pensamentos conturbados dele. Não que isso seja algo ruim, mas eu gosto quando há uma série de outras coisas acontecendo ao mesmo tempo que tiram o romance do foco de vez em quando. 
Fora esses detalhes, o livro é muito bom. Achei que a autora abordou assuntos interessantes e certos acontecimentos e pensamentos dos personagens nos fazem refletir um pouco mais sobre a vida. O que a maioria de nós demora a perceber, principalmente quando somos jovens, é que nem nós nem as pessoas que nos rodeiam estaremos aqui para sempre, então devemos aproveitar os momentos para fazermos o que nos deixa felizes e não nos deixarmos ser controlados pelas vontades dos outros, afinal podemos ter apenas uma chance de fazer algo que valha a pena.