Cheiro de livro novo: A Casa de Hades

Título: A Casa de Hades
Autor: Rick Riordan
Páginas: 478
Editora: Intrínseca
Série: Os Heróis do Olimpo
Anterior: A Marca de Atena
Próximo: O Sangue do Olimpo

Depois do final de A Marca de Atena, fiquei louca para ler esse livro. Então meu namorado, que é super-hiper legal, me deu de Natal e eu fiquei muito feliz! :D Já teria lido logo, mas como estava participando da Maratona em Janeiro, precisava ler livros menores se não ficaria enrolada.
Fiquei pensando que A Marca de Atena seria o meu livro preferido do Rick, mas como sempre ele me surpreendeu. Esse livro foi sensacional e superou minhas expectativas! Fazia muito tempo que eu não ficava com um livro na minha cabeça o tempo todo, inclusive após terminar, mas esse tá assim, sempre me fazendo pensar em alguma coisa da história. E só mais uma coisa: NECESSITO de O Sangue do Olimpo! hahaha

Dessa vez, o livro é narrado por todos os semideuses da profecia. Hazel, Frank, Jason, Piper e Leo estão a bordo do Argo II tentando encontrar uma forma de sair da Itália e chegar à Grécia. Não deveria ser algo tão complicado, mas com tantos filhos de Gaia tentando atrapalhá-los, se tornou. Eles precisam chegar à Casa de Hades, o local aonde encontrarão as Portas da Morte, para poderem resgatar Percy e Annabeth e fecharem as Portas definitivamente, para que os monstros que eles matem permaneçam mortos.

"(...) a magia não é boa e nem má. Trata-se de uma ferramenta, como uma faca. Uma faca é má? Só se o seu dono for mau."

Logo no início, Hazel encontra-se numa encruzilhada. Ela sabe que precisa fazer a escolha certa, ou coisas ruins acontecerão com todos. Eles precisam encontrar um jeito de sair da Itália, mas se tentarem passar pelas montanhas, o navio não resistirá. Ao mesmo tempo, eles sabem que o Acampamento Meio-Sangue está prestes a ser atacado pelos romanos, e precisam descobrir uma forma de evitar que essa guerra ocorra. E mesmo que consigam chegar às Portas da Morte com a ajuda de Nico, correm sérios riscos de morrerem antes de cumprirem seus objetivos. Após seu encontro com uma deusa, Hazel sabe que precisa decidir o que fazer e precisa treinar uma capacidade que ela nem sabia que tinha, caso contrário eles não conseguirão vencer.

"— Acredito que o universo é basicamente como uma máquina. Não sei quem fez isso, se foram as Parcas, os deuses, ou o Deus com D maiúsculo, ou qualquer outro ente. Mas funciona como deve a maior parte do tempo. Claro, algumas peças quebram e as coisas dão errado de vem em quando, mas, a maioria das vezes... tudo acontece por um motivo."

Leo também sabe que eles estão enrascados. Sabe que precisam tomar decisões, mas é muito difícil saber o que fazer quando nenhuma opção é agradável. Eles sabem que muitos perigos os aguardam quando chegarem ao seu destino (e vários outros antes de chegarem também).
Frank está muito confuso, um pouco mais do que os outros, porque seu pai o está deixando louco. Ele precisa provar ser um verdadeiro filho de Marte, o líder que deveria ser, mostrar seu valor para o pai e para todos, mas está sendo difícil.
Sem Percy nem Annabeth, Jason sente que precisa liderar o grupo. Ele está preocupado, pois é o seu Acampamento que está indo atacar o Acampamento Meio-Sangue e ele não sabe como impedir. Além disso, ele nem sabe se ainda pode ser considerado parte do Acampamento Júpiter, depois de tudo que passou com os gregos... Pelo menos agora ele e Piper estão muito bem, já que ela não tem mais ciúmes quando o assunto Reyna surge.

"O amor está em todos os lados, disse Cupido. E do lado de ninguém. Não pergunte o que o amor pode fazer por você.
(...) O amor não é uma brincadeira! Não é a suavidade das flores! É trabalho pesado, uma busca que nunca termina. Exige tudo de você, especialmente a verdade. Somente então lhe concede recompensas."

Enquanto isso, Percy e Annabeth estão lutando para sobreviverem no Tártaro. É um lugar totalmente inóspito para semideuses, moldado de tal forma que eles não possam sobreviver: não há comida, não há água (a não ser que os rios do mundo inferior possam ser considerados água) e o ar é ácido, causando ferimentos em sua pele e em seus pulmões. Mas Annabeth é esperta, então ela sempre encontra formas de mantê-los na melhor condição possível. Apesar do futuro não ser muito promissor, eles conseguem ajuda para seguir adiante. Precisam achar as Portas ao mesmo tempo que seus amigos, para que tenham uma chance de fechá-las e escapar com vida.

"Quantos outros velhos inimigos estariam naquela multidão? Percy começou a se dar conta de que cada um de seus triunfos tinha sido apenas uma vitória temporária. Por mais forte ou sortudo que fosse, não importava quantos monstros destruísse, Percy um dia seria derrotado. Era apenas um mortal. Ia ficar velho demais, fraco demais ou lento demais. Ia morrer. E aqueles monstros... eles eram eternos. Sempre voltavam. Talvez demorasse meses ou anos para se reconstituírem, talvez até séculos. Mas iam renascer.
(...) E daí que era um herói? E daí que realizara feitos corajosos? O mal sempre estava presente, regenerando-se, fervilhando sob a superfície. Percy não passava de um pequeno estorvo para aqueles seres imortais. Eles só precisavam esperar."

É, a situação não está fácil para nenhum de nossos heróis. Mas eles sempre encontram algum tipo de ajuda, e com as capacidades incríveis de cada um, são quase invencíveis.

Esse livro foi cheio de revelações e aprendizados. Nico di Angelo continua o mesmo garoto sombrio e misterioso de sempre, mas descobrimos um pouco mais sobre seus segredos. Ele é um semideus muito poderoso e eu gosto muito dele, desde a outra série, e espero que ele tenha um final feliz dessa vez. Hazel, Frank, Piper e Leo, cada um em seu momento, precisam passar por provações que mostram que eles são capazes de muito mais do que acreditam. Eu gostei muito desse livro porque foi visível o crescimento dos personagens. Eles aprenderam muito sobre seus poderes e se tornaram muito fortes, além de terem amadurecido mais. Além de tudo isso, também notei uma outra mudança no estilo do tio Rick. Ele colocou muito mais romance do que eu estava acostumada, e acertou em cheio nisso. Estou adorando.

"— Ah, eu não diria que o amor sempre o faz feliz. — Sua voz soava menor, muito mais humana. — Às vezes, ele o faz ficar incrivelmente triste."

Mas meus queridinhos ainda são Percy e Annabeth. Depois que eles caíram, fiquei me perguntando várias vezes o que iria acontecer. Eu sempre imaginei o Tártaro como um poço sem fundo, um lugar escuro em que você cai eternamente, nunca chega ao fim. Mas não teria a menor graça se fosse realmente isso, por que se não o que eles fariam por lá? Cairiam sem parar até alguém conseguir achar um jeito de salvá-los? Isso não fazia sentido. Quando finalmente chegou a parte da narração deles, fiquei fascinada pelo mundo que o autor criou. Então, sem dúvida, as partes que eu mais gostei da história foram quando eles estavam narrando. E, finalmente, pela primeira vez desde que começaram a namorar, eles ficaram juntos o tempo inteiro. E eles são muito fofos! *-* Mesmo passando por tantas coisas ruins, eles conseguem ser um casal fofo.
Então é isso, se deixar eu fico aqui o dia inteiro escrevendo sobre o livro. rsrs Estou super ansiosa para ler o último livro, ao mesmo tempo que não quero que acabe... =/ Essa sensação é muito ruim, mas só quer dizer que a série é boa demais! Por mim poderia até ter uma próxima! haha O que acham?


Resenha de A Marca de Atena aqui.
logoblog