Livros *----* Quem é você, Alasca?

Quem é Você, Alasca?
Quem é você, Alasca? Autor: John Green. Editora: WMF Martins Fontes. Páginas: 229.

Queria ler esse livro e ao mesmo tempo não estava muito animada.. alguém já se sentiu assim? rs Quando comecei a ler vi um pessoal dizendo que esse era o melhor livro do Green e isso acabou me deixando bem curiosa, porque eu não estava achando grande coisa do livro até então e fiquei mais animada com a leitura.

"Se  ao  menos  conseguíssemos  enxergar  a infinita  cadeia  de conseqüências  que  resulta  das  nossas  pequenas  decisões. Mas só percebemos tarde demais, quando perceber é inútil."

Miles Halter é um adolescente que gosta de ler biografias e coleciona últimas palavras, mas está cansado da sua vida pacata e vazia de amigos ou qualquer outra coisa. Então, ele decide se mudar para o colégio interno onde seu pai estudou. Miles está em busca do seu Grande Talvez, algo que dê sentido à sua vida. Ele não sabe se encontrará isso em Culver Creeek, mas tem ceretza de que não encontrará na Flórida, onde está.

"Passamos a vida inteira no labirinto, perdidos, pensando em como um dia conseguiremos escapar e em como será legal. Imaginar esse futuro é o que nos impulsiona para a frente, mas nunca fazemos nada. Simplesmente usamos o futuro para escapar do presente.”

Lá, primeiro Miles conhece  Coronel, seu colega de quarto e depois aparece Alasca Young, a garota que vira seu coração do avesso. Não sei muito bem o que dizer de Alasca, ela é meio louca, meio bipolar, meio rebelde, mas cheia de personalidade, o tipo de pessoa que consegue fazer as pessoas a seguirem, mas por mais que pareça ser bastante segura de si ao mesmo tempo parece carregar uma fragilidade inacessível. Coronel é um baixinho invocado, é engraçado, criativo e determinado, gostei dele. Já Miles não me conquistou, achei ele um tanto quanto chato, influenciável e sem personalidade.

"Mas eu não  tinha  coragem.  Ela  tinha  namorado.  Eu  era  um  palerma.  Ela  era apaixonante.  Eu  era  irremediavelmente  sem  graça.  Ela  era  infinitamente fascinante.  Então  voltei  para  o  meu  quarto  e  desabei  no  beliche  de  baixo, pensando que, se as pessoas fossem chuva, eu era garoa e ela, um furacão."

O livro é um pouco engraçado, tem a loucura que vocês podem imaginar ao pensar em adolescentes morando sozinhos durante o ensino médio. Até que acontece algo que tira o chão de todos. Até eu fui pega de surpresa, #choquei, a partir daí senti como se o livro tivesse perdido um pouco o rumo junto com os personagens e Miles começa a refletir mais sobre seu Grande Talvez.

"As pessoas, pensei, queriam segurança. Não suportavam a ideia de que a morte fosse um grande  e  escuro  nada,  não  suportavam  a ideia  de  que  seus  entes  queridos  pudessem  deixar  de  existir  e  nem  mesmo conseguiam  imaginar  essa  não  existência.  Por  fim,  concluí  que  as  pessoas acreditavam na vida após a morte porque não suportavam a alternativa."

Queria saber se todos os livros do Green são dramas, não sabia que esse era um drama, não vale! =O rs Acho que foi um bom livro, mas sinceramente, eu não achei tanta coisa assim como disseram, gostei mais de A Culpa é das Estrelas u.u Sei lá, to me sentindo meio na defensiva pra ler outros livros do Green, vamos ver, tenho que superar o trauma de pegar um drama de surpresa rs

 “Quando você está caminhando assim, de noite, às vezes não bate um medo de uma vontade de voltar correndo para casa por mais bobo e embaraçoso que isso seja?”