Livros *----* Convergente

Convergente. Autora: Veronica Roth. Editora: Rocco. Páginas: 526. Atenção pode conter spoiler dos livros anteriores, Divergente e Insurgente.

Eu estava enrolando há um tempão para ler esse livro e foi meu namorado que me incentivou a lê-lo. Ele leu o segundo e quis ler logo a continuação, então acabei me empolgando e comecei a ler junto com ele. Estava com medo do final, os últimos livros de séries que li não me agradaram muito, mas dessa vez a autora acertou em cheio, gostei bastante. 

Depois das revelações bombásticas do final do último livro, um grande número de pessoas quer ir para além das cercas da cidade. Mas agora que Evelyn conseguiu o poder, desfazendo o sistema de facções, ela não está nenhum pouco favorável a satisfazer esse desejo. Ela está tão preocupada em libertar as pessoas das facções que acaba exercendo um domínio ditatorial, que obriga as pessoas a viverem sem-facções e todos ficam muito perdidos, ao se depararem com o fim de seus costumes e crenças.

"Conhecimento é poder. Poder para fazer o mal, como Jeanine... ou poder para fazer o bem, como estamos fazendo. O poder em si não é o mal. Assim, como o conhecimento em si não é mau."

Essas pessoas então se reúnem e nascem os Convergentes, obviamente nossos mocinhos estão nesse grupo. Sua primeira missão é ir além dos muros e descobrir se ainda existe algo lá fora e o que exatamente era o chamado de Edith Prior para os divergentes. E, bem, eles encontram muitas respostas, mais até do que eles gostariam e muito mais complexo do que eles poderiam imaginar. Temos então muita coisa sobre manipulação genética, política e mentiras, e, entendemos como, de fato, começou o sistema de facções.

"Eu sempre me perguntei o que seria da minha paisagem do medo-ela diz num tom abafado, como uma oração. - Às vezes sinto que há muito a temer, e às vezes sinto que não há nada."

O livro é divido em capítulos narrados por Tris e Tobias, não gosto muito de livros assim, eu sempre fico um pouco perdida e demoro um pouco para me situar depois de cada capítulo, prefiro ler contos extras que contem a visão de outro personagem. Mas, foi bem interessante ter a visão de Tobias, ele é um personagem muito intenso. Os dois amadurecem bastante e vejo que Tris está superando seus traumas e finalmente terminando seu luto. Eles continuam brigando bastante, mas também há mais romance.

"Desde que eu era jovem, eu sempre soube o seguinte: a vida nos danifica, cada um de nós. Não podemos escapar do dano. Mas agora, também estou aprendendo isso: nós podemos ser reparados. Reparamo-nos uns aos outros."

Nesse livro surgem alguns personagens novos, até pela mudança de cenário e Chicago fica um pouco de lado enquanto vamos entendendo tudo que aconteceu no passado. O final foi bastante real, depois de ler Divergente e Insurgente vocês já sabem que a Veronica não tem pena de matar seus personagens, então preparem, porque Convergente está cheio de emoções fortes, afinal, a guerra ainda não acabou. Mas gostei do final porque a autora avança no tempo e nos dá um panorama de como as coisas ficaram depois que tudo aconteceu, acho que todos os autores deviam fazer isso!
logoblog