Em cartaz: Lucy


Lançamento: 28 de agosto de 2014 
Duração: 1h29min
Dirigido por: Luc Besson
Com: Scarlett Johansson, Morgan Freeman, Min-sik Choi
Gênero: Ficção científica , Ação
Nacionalidade: França
Não recomendado para menores de 16 anos.

Estou a tanto tempo pra fazer essa crítica que acho que o filme já até saiu de cartaz =O Mas a faculdade tem me consumido, amanhã já tenho outra prova... Vi esse filme com meu namorado a umas duas semanas, para dar uma esfriada na cabeça e fazer algo diferente, de vez em quando a gente faz algo assim, no meio da semana, sem marcar nem nada antecipadamente, é divertido. rs

Lucy é uma mulher americana de 25 anos que está bem longe de casa, na China, onde vive e estuda. Mas não parece ser do tipo que consegue ficar muito tempo longe de festas e caras ruins. Assim, acidentalmente, ela acaba se metendo em algo muito sério e se vê obrigada a trabalhar como mula de uma nova droga para mafia chinesa, o CPH4. No meio de tudo isso, já carregando um quilo de droga em seu abdômen, ela é mais uma vez maltratada e a substância acaba vazando dentro de seu organismo. E, é quando tudo começa a mudar, de fato.



Ela então começa a adquirir poderes sobrenaturais como a telecinesia, telepatia, a ausência de dor e a capacidade de absorver conhecimento instantaneamente. Mas na verdade tudo isso está ligado a sua capacidade cerebral, quanto mais ela consegue acessar seu cérebro, mais poderosa ela se torna. É tentando encontrar respostas para o que está acontecendo com seu corpo, e como ela pode se aproveitar melhor disso, que ela chega até o professor Samuel Norman, que é um grande pesquisador da área. Mas no meio de tudo isso ainda há a mafia chinesa que não está nenhum pouco interessada em perder sua nova droga e a policia, bastante incompetente por sinal.

O resultado é um filme de ação muito mentiroso; uma mocinha bonita e explosiva, apesar de bastante fria; e uma dose de filosofia. Eu estava esperando mais ação e menos filosofia quando vi o trailer, ou talvez apenas menos viagem rs. Mas o filme não me surpreendeu de um jeito ruim, foi uma boa combinação. Há algumas controvérsias quanto à quantidade do nosso cérebro que nos realmente usamos, (se são mesmo apenas 10%) mas esse não foi a ponto do filme. Percebi que ele questionou muito sobre o que podemos fazer para influenciarmos o mundo a nossa volta, o quanto somos pequenos e como a nossa existência pode fazer diferença, de fato, para as outras gerações, Lucy fez uma grande diferença. Mas foi só um filme... XD Bem, é isso, vejam vocês mesmos e me digam o que acharam ;) #FicaaDica! Agora tenho que voltar a estudar... #tábrabo

logoblog