Cinema em Casa: O Garoto da Casa ao Lado

O Garoto da Casa ao Lado
Data de lançamento: 26 de março de 2015
Duração: 1h 31min
Direção: Rob Cohen
Elenco: Jennifer Lopez, Ryan Guzman, Ian Nelson mais
Gênero: Suspense
Nacionalidade: EUA
Não recomendado para menores de 16 anos

Não é nenhum mistério o fato de eu adorar um bom suspense, porque, de vez em quando, trago um dica de filme do gênero por aqui. Esse filme foi uma indicação do Netflix. Ele estava lá marcado como 98% relevante, considerando o meu histórico de sessões. Então, depois de assistir ao trailer, suspeitei de que aquela muito provavelmente seria mesmo uma boa pedida para mim e eu estava certa. Obrigada, Netflix!

Em O Garoto da Casa ao Lado, Claire é uma mulher adulta, ela trabalha como professora de literatura em uma escola secundária e tem um filho adolescente, Kevin, mas está com sérios problemas no seu casamento. Claire deixou seu marido, Garrett, meses atrás quando descobriu que ele a traia com uma secretária. Mas, ela simplesmente não consegue assinar os papéis do divorcio devido à insistência de Garrett para reatarem o relacionamento e ao seu filho, que recente a separação dos pais. Entretanto, essa indecisão apenas torna tudo mais confuso e complicado. Ela se sente carente e culpada por fazer seu filho sofrer. Por um lado, deseja fazer as pazes com Garrett e dar um fim a essa fase terrível, mas teme confiar nele e ser traída outra vez. 


É quando surge Noah, um novo vizinho, que veio morar com o tio após a morte de seus pais. Noah aparenta ser um jovem muito simpático e prestativo e rapidamente conquista a amizade de Kevin e a afeição de Claire. E, ele logo começa a demostrar um interesse romântico em Claire. Mas, o que não faltam são motivos contra esse relacionamento, ele estuda na escola em que ela trabalha, é amigo do seu filho, ela não é divorciada e ainda nem decidiu se irá mesmo se divorciar. Mas será que tudo isso será suficiente para conter um coração carente e um adolescente apaixonado? Claire não podia sequer imaginar no que estava se metendo.

O maior perigo de um filme de suspense é ele se tornar lento e cansativo, parece contraditório, mas isso ocorre com certa frequência. Mas, felizmente, dessa vez isso não aconteceu, o filme tem dinâmica, conta com uma dose de perseguições e os personagens, apesar de um pouco clichês, conseguem ganhar a nossa atenção. Há ainda certa sensualidade no longa e umas duas cenas bem calientes, por assim dizer, que apesar de não serem tão explícitas, são carregadas de erotismo. Eu fiquei boba com a quantidade de críticas negativas que encontrei sobre o longa, já que fiquei bastante satisfeita com o que encontrei. Veja bem, esse não é um daqueles filmes que vai lhe deixar pensando e refletindo durante horas depois de tê-lo assistido, mas me proporcionou um bom entretenimento, além de ter me surpreendido um pouco sim no final. Fica a dica para aqueles que curtem um suspense despretensioso.

logoblog