Cheiro de livro novo: Harry Potter e a Criança Amaldiçoada

Título: Harry Potter e a Criança Amaldiçoada
Autores: J.K. Rowling, John Tiffany e Jack Thorne
Páginas: 330
Editora: Rocco
Série: Harry Potter #8
Anterior: Harry Potter e as Relíquias da Morte
Avaliação: 5/5

Eu estava bastante curiosa para realizar essa leitura desde que soube do seu lançamento. Confesso que eu nunca li todos os livros de Harry Potter, me tornei fã primeiro com os filmes e li apenas os últimos livros da saga, mas é uma maratona de leitura que está na minha meta para a vida. haha

Estava hesitante sobre o que encontraria nesse livro, já que ele não é exatamente uma sequência, é uma adaptação do roteiro de uma peça, o que o faz ser tão diferente dos anteriores. Também li diversas críticas sobre a história, mas tentei não me influenciar, pois sei bem que as pessoas adoram reclamar de tudo. No fim das contas, foi uma ótima surpresa. 😄

"E você pergunta justamente a mim como proteger um menino que corre um perigo terrível? Não podemos proteger os jovens de mal algum. A dor deve vir e virá."


Essa história começa no mesmo acontecimento a que somos apresentados no epílogo de Harry Potter e as Relíquias da Morte. É o primeiro dia de Alvo Severo em Hogwarts. Toda a família está reunida para a despedida. O menino está extremamente nervoso, pois tem medo de desapontar a todos e ser selecionado para a Sonserina. Mesmo com todo mundo tentando tranquilizá-lo, a ansiedade não passa.

"Alvo Severo, nós lhe demos o nome de dois diretores de Hogwarts. Um deles era da Sonserina e provavelmente foi o homem mais corajoso que já conheci."

Alvo mostra-se correto, já que, ao contrário dos membros de sua família, não vai para a Grifinória, e sim para a Sonserina. Além disso, acaba não sendo um bruxo tão bom quanto imaginava, tendo muitas dificuldades na escola. Ele sente que é uma decepção para todos que conhece, e o único capaz de tornar seus dias mais alegres é Escórpio Malfoy, seu melhor e único amigo.

"É essa a questão, não é? Nas amizades. Você não sabe do que ele precisa. Só sabe que precisa. Vá procurá-lo, Escórpio. Vocês dois... pertencem um ao outro."

Os anos passam e as coisas vão tornando-se cada vez piores para Alvo, principalmente sua relação com seu pai, Harry Potter, que não tem ideia de como lidar com o filho e só contribui para que o relacionamento decline. Alvo não consegue enxergar o mesmo Harry que todos admiram, o Harry que serve como exemplo e que salvou a população bruxa. Na verdade, ele vê um homem frio, egoísta, que nunca se preocupou com quem precisou morrer para que ele vivesse. Aos 14 anos, quando o quarto ano de Alvo em Hogwarts está para começar, tudo atinge o pior ponto.

"Às vezes os custos existem para ser suportados."


Amos Diggory, pai de Cedrico, procura Harry, pois soube que o Ministério da Magia conseguiu um vira-tempo. Seu desejo é que Harry volte no tempo e salve seu filho da morte. Mas Harry sabe como é arriscado fazer mudanças no passado e se recusa a ajudar o velho. Alvo escuta tudo e acaba formulando um plano bem inconsequente. Decidido a desfazer pelo menos um dos inúmeros erros do pai, ele convence Escórpio a ajudá-lo nessa aventura e os dois partem em busca do vira-tempo e de Cedrico, sem imaginar quão perigoso pode ser desfazer o que já foi feito e como alterações tão pequenas podem ter uma grande repercussão no futuro.

"Todo mundo fala de todos os feitos corajosos de meu pai. Mas ele também cometeu erros. Alguns erros grandes, na verdade. Quero consertar um desses erros."

Alvo Severo é um garoto diferente do que eu imaginava. Ele é solitário, é frágil, sente muita pressão por causa da fama do pai e não sabe como lidar com tudo isso e com sua forma de ser, tão diferente de Harry. Ao mesmo tempo, ele é determinado e corajoso. Confesso que me irritei com algumas das suas atitudes rebeldes, mas tentei entender seu lado. Escórpio foi um personagem que adorei, por mais que isso possa surpreender. Ele é um amigo maravilhoso, leal, e também é bem divertido. Sofre seus próprios dramas familiares devido a fama de seu pai, mas lida com isso de uma forma bem diferente de Alvo. Também conhecemos outros personagens, como Rosa, filha de Rony e Hermione, que é completamente diferente do que eu esperava, apesar de ter herdado a inteligência da mãe.

Eu não sabia muito o que esperar desse livro e acabei sendo surpreendida. Foi uma ótima forma de retornar ao mundo mágico e revisitar tantos personagens conhecidos e amados. Ao voltar no tempo, não só passeamos novamente por cenas marcantes, mas, principalmente, desfrutamos da oportunidade de termos mais uma vez a companhia de personagens que deixaram saudades. Eu adorei isso!


Essa história não foi tanto como uma sequência dos anteriores e sim como uma forma da autora presentear seus leitores com um pouco do futuro dos nossos personagens queridos e para relembrarmos muitos que foram importantes ao longo da saga. Não há nada muito inovador no que foi apresentado, mas é uma leitura para aquecer o coração dos fãs. Além disso, é uma história que trata basicamente sobre a amizade. É um sentimento tão importante e é tão raro encontrarmos amigos verdadeiramente leais. A amizade de Alvo e Escórpio é o que realmente movimenta o enredo e é muito bonita. É um enredo infanto-juvenil, portanto tem uma leveza presente apenas nos primeiros livros da série.

"Demorei muito para descobrir seu ponto fraco, Alvo Potter. Pensei que fosse o orgulho, pensei que fosse a necessidade de impressionar seu pai, mas percebi que seu ponto fraco era o mesmo de seu pai... a amizade."

A narrativa é em terceira pessoa e o livro é construído em formato de um roteiro de teatro adaptado. Então ele é dividido em atos e cenas, e tem vários detalhes diferentes do que estamos acostumados, como o nome dos personagens antes de cada fala, a apresentação do cenário no início de cada cena, a descrição de emoções e expressões dos personagens e sons e mudanças de movimentação. Apesar de parecer muito diferente, eu achei incrivelmente fácil de me acostumar, e a leitura fluiu tão velozmente que me espantei. O livro parece grande, mas as diferenças na diagramação fazem com que seja muito, muito rápido de ler.
Detalhes do livro

Claro que, por ser um roteiro, algumas coisas incomodaram. O principal para mim foi o fato de não ter tantos detalhes. A história não é tão bem desenvolvida, não tem descrições dos acontecimentos, os diálogos são curtos, as ações são rápidas, e temos pouco acesso às reflexões dos personagens. Mas isso era de se esperar e tudo só serviu para me deixar curiosa para assistir à peça. Tem uns efeitos na história que eu fiquei pensando "nossa, como eles fazem essas coisas no palco?". Consegui visualizar bem um filme, mas uma peça foi difícil.

Foi uma leitura que me prendeu, foi prazerosa, e se, futuramente, a J.K. resolver escrever um livro seguindo o estilo da série (o que acho que não vai acontecer, já que acredito que ela atingiu seu objetivo com esse), eu certamente leria. Recomendo para todos que amam o mundo mágico de Harry Potter. Leiam com a mente e o coração abertos, porque esse foi um presente da autora para relembrarmos os bons momentos que passamos com suas histórias. 💝



Leia também:
Resenha da Isabela
logoblog