Em Cartaz: Homem Aranha - De Volta ao Lar

Data de lançamento 6 de julho de 2017
Duração: 2h 14min
Direção: Jon Watts
Elenco: Tom Holland, Michael Keaton, Robert Downey Jr. Gêneros Ação, Aventura
Nacionalidade EUA
Não recomendado para menores de 12 anos

Eu sempre adorei filmes de super heróis e o Homem Aranha em particular é um personagem que eu acompanho desde pequena. Me lembro assistir o primeiro filme do Homem Aranha (com o Tobey Maguire) logo que ele foi lançado junto com meus irmãos e para mim é muito difícil eleger o melhor filme ou ator. Mas, não posso negar que o Tom Holland se encaixou muito bem no papel.

O filme começa após uma luta travada entre os Vingadores e alguns  alienígenas, quando uma equipe enviada pelo Homem de Ferro interrompe o trabalho de alguns homens que estavam coletando os destroços para reciclagem. Esses homens decidem então ficar com uma parte desse material, que já havia sido retirada do local, e, oito anos depois, eles compõem uma quadrilha de venda de armas com tecnologia alienígena e alto poder de destruição.


Peter acaba de voltar do confronto entre os vingadores (mostrados no filme Guerra Civil) e sonha com a possibilidade de fazer parte da turma de super heróis. Mas, o Homem de Ferro acredita que ele ainda não está pronto para isso e o orienta a ficar em casa e cuidar da vizinhança. Então, quando Peter se depara com as armas de alta tecnologia, percebe que algo maior está acontecendo e que ele terá que lidar com isso por conta própria.

Diferente dos outros filmes do Aranha, não vemos como Peter consegue seu poderes ou como ele perde o seu tio, Ben. Mas, surpreendentemente, isso não nos faz a menor falta. O Peter é um adolescente normal, bastante nerd, mas não tem aquele jeito meio idiota do personagem interpretado pelo Tobey Maguire, ou tão bem resolvido como o interpretado pelo Garfield. Ele se encaixa perfeitamente no ambiente escolar, apesar de que, passar os dias assistindo aulas de inglês ou química lhe parecem uma tremenda perda de tempo, uma vez que ele poderia estar salvando o mundo.


Outro ponto interessante, é que não temos apenas loiras e ruivas no elenco, a começar por Liz, o par romântico de Peter, que é uma mulher linda, diga-se de passagem. Além disso, o vilão não é aquele personagem megalomaníaco que quer destruir o mundo, como vemos muito por aí. Ele é um homem injustiçado, que encontrou uma forma de lucrar em meio à desgraça que se abateu sobre si. E, mesmo que não essa não seja a forma mais honesta de se viver, foi a maneira que encontrou para sustentar a sua família, ou pelo menos é nisso em que ele acredita. Papel que foi muito bem interpretado pelo Michael Keaton. Eu achei apenas excessivo toda essa afobação em torno da tia May, ela é muito bonita sim e parece nova demais para a personagem, depois de Rosemary Harris e Sally Field terem interpretado esse papel. Mas, realmente acho que não precisava de que todo esse assédio em torno dela. 

O filme tem uma pegada mais teen e é bem humorado, mas não ri tanto quanto em Guardiões da Galáxia Vol 2.  Quem esperava que esse seria mais um filme do Homem de Ferro felizmente ficará um tanto quanto frustrado, pois o mesmo não conseguiu roubar a cena dessa vez. E, apesar do longa não ter deixado muitos ganchos para uma sequência, há expectativas de que a franquia renda quatro filmes. Eu certamente irei assistir ao próximo e estou particularmente curiosa com o papel reservado para MJ. Lembrando que o filme tem duas cenas pós créditos!


logoblog