Cheiro de livro novo: Não Pare!

Título: Não Pare!
Autora: FML Pepper
Páginas: 280
Editora: Valentina
Série: Não Pare!
Próximo: Não Olhe!

Boa tarde pessoal! Estou tentando voltar com as resenhas agora, espero que consiga. rsrs
Ganhei esse e-book numa promoção das caixas de bombom da Garoto e Nestlé. Estava louca para lê-lo, porque sempre vejo mil elogios e a autora é super fofa e simpática, então quando soube que estava na promoção, corri para comprar. Afinal, livros e chocolate é tudo de bom, né? haha
Comecei a ler meses atrás, mas acabei enrolando muuuuito para terminar, porque fui priorizando os livros de parceiros e o meu TCC ainda embolou tudo, então, apesar da história ser muito boa, acabei não me envolvendo tanto quanto gostaria.

"— Um sentimento maior pouco se importa com a aparência e pode aflorar das situações mais improváveis. Ele não tem necessidade de explicações. Simplesmente é, e ponto final. A vida vai lhe mostrar, Nina"

Nina é uma garota de apenas 16 anos, mas já conheceu boa parte do mundo. Sua mãe, Stela, trabalha em uma empresa de lentes de contato que misteriosamente a obriga a mudar-se constantemente. O mais estranho é que essas mudanças repentinas que a mãe deve fazer sempre ocorrem quando a Nina passa por algum acidente bizarro e perigoso, o que é muito mais frequente do que ela gostaria. Ela acha que simplesmente é azarada demais, e tudo o que ela queria era que a mãe parasse com tanta paranoia e a deixasse ter uma vida normal como qualquer adolescente. Como se não bastasse ela ter nascido com um defeito genético esquisito e ter as pupilas verticais, como as de um réptil, e sempre usar lentes de contato especiais.

"Mudar. Mais uma vez… Meus olhos opacos permaneciam vidrados em uma folha seca que era levada de um lado para outro pelas mãos do vento. A similaridade entre mim e aquela folha chegava a assustar: solitária, sem destino, impossibilitada de um pouso tranquilo e feliz."

Até que as coisas começam a parecer que irão melhorar. Stela decide mudar-se para Nova York e permanecer por lá. Nina finalmente vai poder terminar o ano letivo na mesma escola, fazer amigos e - quem sabe? - até conhecer um garoto legal. Infelizmente, a sorte não está a seu favor.
Os acidentes bizarros passam a acontecer com grande frequência, somados a calafrios, paralisias e desmaios. O medo de acabar sendo morta aumenta exponencialmente, ainda mais quando outras pessoas sempre morrem ao seu redor. Mesmo assustada, Nina esconde tudo de sua mãe, pois não quer despertar novamente a paranoia insana que a fazia mudar-se a todo instante.

"Eu estava era ficando realmente preocupada. Não poderia ser só azar. Tinha que haver alguma explicação para todos aqueles “quase” acidentes em minha vida, mas me faltava coragem para enfrentar minha mãe. Stela com certeza devia saber de alguma coisa, mas, se eu resolvesse perguntar, obviamente ela perceberia que algo havia acontecido e com incrível rapidez estaríamos mudando para outra cidade ou país. E eu não aguentava mais aquela vida de errantes."

O surgimento de um misterioso rapaz de belíssimos e penetrantes olhos azul-turquesa também não parece ajudar. Ele é estúpido, grosso e mal-encarado, mas incita nela sensações inexplicáveis, que a intrigam e por algum motivo a atraem até ele. O que será que ele tem de tão especial, além da beleza e do corpo escultural?
De uma hora para outra, Nina se vê numa confusão gigantesca, em situações de vida ou morte, em meio a revelações de segredos do passado em que ela não sabe se deve verdadeiramente acreditar. Afinal, tem como essa loucura toda ser real?

"Então instintivamente voltei minha atenção para os semblantes dos transeuntes. Foi quando me deparei com um par de olhos absurdamente azuis por debaixo de grossas sobrancelhas negras que me fariam perder o chão, se eu já não estivesse deitada sobre ele. Eram de um azul-turquesa vivo incomum, muito brilhante e tão penetrante quanto um tiro de fuzil num coração sem colete à prova de balas. Seus olhos, no meio de tantos outros, fulguravam nos meus. Sob tensão e constrangimento, desviei meu olhar com rapidez, e quando resolvi encará-los novamente… eles já não estavam mais lá."

Nina é apenas uma adolescente e faz jus a sua idade. É ingênua, imatura e está apenas tentando ter um pouco mais de liberdade e descobrir o mundo. Sua mãe, Stela, controla todos os seus passos desde que nasceu, se preocupa ao extremo com sua segurança, aparentemente sem motivo. Chegou um momento em que eu também fiquei muito irritada com a Stela. É possível compreender totalmente as atitudes da Nina. Richard é lindo, maravilhoso e tudo mais, mas é muito estúpido. Apesar de ter atitudes legais em certos momentos, eu não tinha muita paciência com ele de um modo geral. Misterioso demais, rude demais, pelo menos a aproximação entre ele e Nina foi feita sutilmente, mas a paixão que surge tão forte nela às vezes parece meio sem sentido. A vontade de xingá-lo era constante, então não foi um personagem que me conquistou logo, apesar de eu ter preferido ele ao Kevin, outro bonitinho que apareceu para dividir o coração da protagonista. Queria ter tido mais contato com os outros personagens, além da Nina. Nem mesmo a Melly, a potencial melhor amiga legal, permanece por muito tempo como centro das atenções para nos apegarmos.

"(...) enquanto não souberem o que é compaixão, não saberão o que é e tampouco sentirão os efeitos do maior de todos os sentimentos: o amor. Jamais saberão o que é amar!"

A narrativa é em primeira pessoa, sempre pelo ponto de vista da Nina. A história é bem envolvente. Apesar de eu não ter tido muito tempo para ler, o que me fazia ficar dias e dias sem tocar no livro e me perder um pouco no que estava acontecendo, sempre que parava para ler era fácil me prender na história. O ritmo dos acontecimentos é acelerado, a personagem não para um momento de correr e se meter em confusão, o que favorece ainda mais a sensação de adrenalina. E a escrita da autora é muito boa.
O mundo criado pela Pepper é muito legal, diferente dos romances fantásticos que estavam muito em moda um tempo atrás. Apesar de ter aquele típico clichê de "eu gosto de você, mas não podemos ficar juntos, eu sou um monstro, etc", os personagens não são usuais e o fato de formar uma mitologia original, coisa que costumo ver mais em fantasias que não se passam na época atual, dão um brilho a mais à história.

"Percebi que começava a perder o medo da situação. Eu havia perdido tudo de mais importante em minha vida, inclusive a paz e a esperança. Tanto fazia agora viver ou morrer. A morte, por sinal, me parecia até interessante."

Uma coisa que me irritou um pouco na história foi a teimosia da Nina em aceitar o que estava acontecendo e que tudo não era invenção. Estava óbvio que aquilo não era um mundo criado por mentes psicopatas, tinha que ser real, e ela ficava insistindo em não acreditar. A repetição disso já estava me tirando do sério. A relação de amor e ódio entre ela e Richard também me irritava algumas vezes. Acho que não tenho mais muita paciência para esses romances adolescentes fantásticos cheios de desculpas para não dar certo. Mas eu até estava aceitando razoavelmente bem as razões do Richard, até chegar no final e ele revirar tudo! Sério, o final foi louco. Eu achei que acabaria não ficando tão curiosa para ler o próximo, já que a autora revela grande parte dos mistérios ao longo da narrativa, mas aquele final me deixou muito intrigada para ler o segundo. Então, estou aceitando de presente! haha
E você, já leu esse livro? Tem vontade? Compartilhe sua opinião conosco! :D


logoblog