Livros *----* Decepcionado com Deus

Decepcionado com Deus. Autor: Philip Yancey. Páginas: 288. Editora: Mundo Cristão.

Essa foi uma leitura do Clube do Livro da minha igreja. Quando ele foi indicado, uma das meninas disse que já tinha ouvido algumas coisas ruins a respeito desse autor. Então, eu não sabia exatamente o que esperar, e cheguei a pensar se o livro não teria apenas conteúdo de auto ajuda ou um monte de heresias bíblicas. Por fim, afastei os pré-conceitos e pensei que mesmo que acontecesse alguma dessas opções eu muito provavelmente conseguiria tirar algo bom para mim do livro, como aconteceu com todas as leituras do Clube, mesmo que eu não tenha gostado muito de todas elas. Assim, comecei a leitura.

"Ocorreu-me, enquanto lia os Evangelhos, que, se todos nós da Igreja gastássemos nossas vidas tal como ele fez — ministrando aos doentes, alimentando os famintos, resistindo aos poderes do mal, consolando aqueles enlutados e levando as Boas Notícias de amor e perdão — então talvez a pergunta "Deus é injusto?" não fosse feita hoje em dia com tanta urgência."

Richard, um jovem estudante de teologia entra em contato com Philip pois está escrevendo um livro sobre a história de Jó. Então, Philip começa a ajudar o rapaz no desenvolvimento do livro e, inclusive, escreve o prefácio do mesmo. Mas quando o livro já está pronto, na gráfica, as vésperas do lançamento, Richard se encontra com Philip e lhe diz que perdeu a fé, devido a uma série de frustrações que tem com Deus.

"E a fé é, afinal, um tipo de saudade — de um lar que jamais visitamos, mas que nunca deixamos de anelar."

Motivado por esse e diversos outros testemunhos de pessoas decepcionadas e tendo a sua própria cota de frustração com Deus, Yancey decide estudar e escrever sobre a assunto. E, assim espera entender e responder três perguntas que todo cristão já se fez: "Deus é injusto?", "Deus está calado?" e "Deus escondeu-se de mim?". Para responder essas perguntas ele busca conhecer melhor a bíblia e chega a algumas respostas. Talvez não as respostas que queremos ouvir, mas foram respostas bastante sensatas e embasadas. Curiosamente, o testemunho que mais me marcou foi de um homem que apesar de ter passado por toda sorte de dificuldades e injustiças não se sentia decepcionado com Deus.

"— Desafio você a ir para sua casa e ler de novo a história de Jesus.
A vida foi "justa" com ele? Para mim, a cruz acabou definitivamente com a crença enraizada de que a vida será justa."

O autor divide o livro em duas partes, na primeira ele se propõe a explorar a Bíblia para ver aquilo que realmente podemos esperar de Deus, e, na segunda, se dirige para questões mais práticas e existenciais e aplica as idéias que desenvolveu em situações reais. Dessa forma, ele começa falando sobre o antigo testamento, uma época em que Deus se mostrava claramente e os israelitas viam seu poder em todo o tempo, mas, mesmo assim estavam sempre pecando e desobedecendo. Pois, todo esse poder não gerava fé e amor nos corações do povo. Depois ele passa pelo novo testamento. E, por fim, faz uma análise incrível sobre o livro de Jó. Sempre contextualizando as suas reflexões para os nossos dias. 

"Será que uma erupção de milagres sustentaria a fé? Provavelmente não; pelo menos não sustentaria o tipo de fé em que Deus parece estar interessado. Os israelitas são uma grande demonstração de que os sinais só conseguem nos tornar viciados em sinais, não em Deus."

Um coisa que me incomodou um pouco foi que o autor colocou as referências bíblicas ao fim dos capítulos e eu particularmente preferia que ele tivesse usado parênteses e colocado elas no meio do texto. Acho que faz mas sentido quando lidas junto com a reflexão que ele fez sobre elas, sem contar que ver todas aquelas referencias juntas no final do capítulo as vezes batia uma preguiçaaa de abrir e ler cada uma delas. Mas essa foi uma escolha  do autor.

"Digo isto com muito cuidado, mas fico imaginando se um desejo veemente, insistente de milagres — digamos, de uma cura física — algumas vezes não denuncia uma falta de fé, em vez de uma abundância dela. Tais orações podem, como as de Richard, estabelecer condições para Deus. Quando ansiando por uma solução miraculosa para um problema, fazemos com que nossa lealdade a Deus dependa de ele se revelar mais uma vez no mundo visível?"

No fim, o livro me surpreendeu positivamente, Philip trouxe um olhar muito diferenciado sobre a historia de alguns personagens bíblicos. Em todo tempo, ele combate a ideia de que temos qualquer tipo de garantia de que a vida será bom ou justa para conosco só porque somos cristãos. A bíblia em nenhum momento nos promete riquezas materiais, saúde ou romance nessa terra. Hoje em dia isso tem sido muito pregado como uma verdade, quando na verdade não é, as pessoas parecem ter se esquecido de personagens como Jó, Paulo, João Batista... Paulo viveu a maior parte de sua vida cristã preso, sofreu por causa do evangelho e, mesmo assim, guardou a fé. Além disso, as vezes, nós cristãos, queremos tanto ser corretos e "certinhos", que não assumimos quando sentimos esse tipo de sentimento para com Deus, mas Philip não, ele, na verdade, foi muito franco e humano ao falar sobre o assunto e achei essa atitude muito válida e interessante.

"Por outro lado, alguns leitores apontam para o final feliz como a resposta final para a desilusão com Deus. Veja, dizem eles, Deus livra seu povo da adversidade. Restaurou a saúde e as riquezas de Jó, e fará o mesmo conosco caso aprendamos a confiar nele como o fez Jó. Esses leitores, no entanto, passam por cima de um detalhe importante: Jó falou essas palavras de contrição antes da recuperação de suas perdas."

Todos que já se fizeram essas perguntas deveriam ler o livro, ele é muito esclarecedor e a linguagem não é difícil. As vezes o autor até parece dar uma viajada pra explicar como Deus é, em especial na hora que fala sobre o tempo (passado, presente e futuro), mas não foi nada muito difícil de acompanhar e no fim as coisas ainda fizeram sentido haha. Gostaria de colocar mais quotes e falar mais sobre como ele explicou tudo, mas vocês precisam ler para entender. Leiam e depois voltem para me contar o que acharam!

"A Bíblia inclui muitas provas do interesse de Deus — algumas bastante espetaculares — mas nenhuma garantia. Uma garantia, no final das contas, eliminaria toda a fé."