Cheiro de livro novo: Não Conte a Ninguém

Título: Não Conte a Ninguém
Autor: Harlan Coben
Páginas: 250
Editora: Arqueiro


Peguei esse livro emprestado com a Isabela. Fazia tempo que ela me dizia para ler, mas eu sempre ficava enrolando para pegar, até que nossas outras amigas também leram e eu resolvi saber o que tinha de tão bom nele. haha Realmente gostei bastante, a história é envolvente e o final surpreendente.

"Algumas coisas a gente empacota, enfia no fundo do armário e espera não ver nunca mais  mas não consegue dispensar. Como sonhos, acredito."

David Beck é um pediatra que há oito anos sofreu uma tragédia que mudou completamente a sua vida. Sua esposa, Elizabeth, foi assassinada no aniversário de 13 anos do primeiro beijo deles.
Casados há poucos meses, foram até o local do primeiro beijo, o lago Charmaine, como iam todos anos, para marcar mais um traço na árvore em que estavam gravadas suas iniciais desde que eram adolescentes. Aproveitaram o dia, até que, depois do anoitecer, o inesperado acontece: David é atingido por algo semelhante a um taco de beisebol e é atirado no lago, sendo deixado para morrer, e Elizabeth é sequestrada, aparecendo morta na beira de uma estrada alguns dias depois.

"Mesmo assim, a morte é uma grande mestra. E dolorosa demais.
Gostaria de poder contar que, através da tragédia, descobri algum princípio absoluto, desconhecido e impactante que pudesse transmitir. Não foi o que aconteceu. Os clichês são todos válidos (...), e posso repeti-los exaustivamente. Você poderá ouvir, mas não vai conseguir internalizar o que eu disser. A tragédia é pessoal. Ela fica gravada na alma. A gente deixa de ser feliz. Mas se transforma numa pessoa melhor.

Mesmo passados tantos anos, Beck sente-se culpado, como se de alguma forma pudesse ter feito algo para impedir a morte da esposa. Até hoje ele a ama e não conseguiu seguir totalmente com sua vida, direcionando sua atenção ao trabalho.
Então tudo começa a mudar quando ele recebe um misterioso e-mail, contendo informações que, teoricamente, apenas a esposa, além dele, poderia saber. Ao seguir as instruções, a imagem de uma câmera de rua aparece na tela do computador, mostrando uma Elizabeth um pouco mais velha. Beck fica muito confuso e não sabe o que fazer nem pensar, mas ela foi bem clara com o pedido "não conte a ninguém".

"Três dias antes, eu era um médico dedicado vagando pela minha própria vida como um sonâmbulo. Desde então, eu vira um fantasma, recebera e-mails de minha mulher morta, tornara-me suspeito não de um, mas de dois assassinatos, virara foragido da polícia, atacara um policial e pedira ajuda a um traficante de drogas.
As 72 horas mais emocionantes da minha vida.
Seria cômico se não fosse trágico."

David começa a buscar explicações para o fato de sua esposa não estar morta, apesar de tudo indicar que ele possa estar enlouquecendo ou que alguém esteja tentando enganá-lo. Ao mesmo tempo, o FBI começa a tratá-lo como o principal suspeito do crime, pois mais dois corpos apareceram próximos ao lago, mostrando que talvez existam mistérios mal resolvidos nessa história. Como se não bastasse ser alvo dos federais, Beck ainda está sendo perseguido por alguém que deseja incriminá-lo ou até mesmo matá-lo.
Correndo em busca da verdade, para que consiga provar que não teve participação na morte de Elizabeth e, talvez, rever a esposa, Beck sai em uma perigosa aventura, contando com aliados improváveis e revelando segredos guardados por quase uma década.

"Eis a verdade sobre as tragédias: elas fazem bem à alma.
O fato é que sou uma pessoa melhor por causa das mortes. Se tudo tem seu lado positivo, este, sem dúvida, é bem frágil. Mas existe. Isso não significa que valha a pena, que a troca seja justa ou algo semelhante, mas sei que sou um homem melhor do que era antes."

Realmente é um livro muito bom. O começo é um pouco lento e confuso, pois ainda está mostrando os personagens e nos inserindo na vida de Beck. Os capítulos são narrados sob o ponto de vista de diversos personagens da história, como acontece em muitos livros de mistério, revelando trechos diferentes da mesma realidade, e isso normalmente me deixa perdida no início, mas rapidamente me acostumei.
A narrativa é em primeira pessoa quando é o ponto de vista do David e em terceira pessoa quando muda a perspectiva, o que nos dá uma sensação de maior proximidade com o protagonista. Existem também outros personagens carismáticos, como a Shauna, a cunhada de David. Ela é muito divertida e é quem traz toques leves de humor para a história. 

"Lembranças machucam. As boas, mais ainda."

Depois de um tempo, a leitura começa a adquirir um ritmo mais intenso, quando nos envolvemos nos mistérios que David tenta resolver. No final, eu já não aguentava mais esperar para saber a verdade sobre o que aconteceu, para descobrir quem afinal era o vilão dessa história toda.
É um livro de mistério um pouco diferente dos que costumo ler, pois não acompanhamos os passos da polícia ou de um detetive em busca da solução do caso, mas sim de um viúvo desesperado para saber o que realmente aconteceu na sua vida, sem experiência nenhuma em enfrentar as situações que aparecem.
O autor soube brincar com as emoções e a imaginação do leitor. Soube nos induzir bem a pensar certa coisa, para depois jogar na cara que estava pensando errado. haha E não fez isso apenas uma vez, não... Enfim, a história conseguiu me surpreender várias vezes e recomendo. Nunca tinha lido nada do autor e é uma ótima dica para um bom romance policial.


logoblog