Em cartaz: O Pequeno Príncipe

O Pequeno Príncipe
Duração: 110 min
Direção: Mark Osborne
Estúdio: Onyx Films, Orange Studio e On Entertainment
Distribuição: Paris Filmes
Gênero: Animação, fantasia
Classificação: Livre

Desde que vi que iriam lançar esse filme fiquei doida para ver. Faz muuuitos anos que eu li o livro, mas é uma história tão famosa que é difícil de esquecer. Pelo trailer já foi possível perceber que o filme não seguia o livro, que eles criaram uma nova história e encaixaram a história do Pequeno Príncipe. Também deu para notar que o filme estava lindo. Então fui cheia de expectativas assistir e não me arrependi, ficou muito emocionante.

Uma menina de oito anos tem uma mãe obsessivamente controladora, que quer definir toda a sua vida. Sua mãe deseja que ela estude em uma escola renomada, então organiza um plano de estudos intensivos, durante as férias de verão inteiras, o que faz com que não reste à menina nenhum tempo para se divertir e agir como uma criança normal. A menina segue à risca todas as ordens da mãe, pois sabe que assim se tornará uma adulta bem-sucedida.
As duas se mudam para uma casa perto da futura escola, mas infelizmente a casa é ao lado da de um senhor que todos acham não bater muito bem da cabeça. Ao contrário do restante da cidade, a casa desse senhor não é cinza, retangular e sem-graça; é colorida, com muitas árvores e pássaros. 
Ele é um aviador aposentado e de vez em quando resolve tentar colocar seu velho avião para funcionar. Numa dessas tentativas, uma hélice solta-se do avião e destrói parte da parede da casa delas. Como sua mãe está sempre trabalhando, a menina decide resolver essa situação sozinha. Assim ela conhece seu vizinho e aos poucos, após alguma insistência do senhor, os dois vão tornando-se amigos.
O aviador conta-lhe a história do Pequeno Príncipe, um menino especial que um dia ele encontrou no deserto quando seu avião havia caído. Com a história e a convivência, o aviador vai ensinando à menina a ser menos racional e a usar a imaginação, além de transmitir os ensinamentos que a história tem. A menina vai percebendo que um pouco de diversão talvez também seja importante no processo de crescer para tornar-se adulta. Mas nem tudo a agrada nos rumos que essa história toma, e então reviravoltas começam a acontecer.

Como é fácil perceber, o filme é dividido em duas partes: a história da menina e a história do Pequeno Príncipe. O foco não é a conhecida história do principezinho, mas sim a da menina que está descobrindo que ser adulta não é tão bom quanto parece, ainda mais se não souber como aproveitar bem a infância. Pelo que eu me lembro do livro, o filme conseguiu transmitir bem as emoções da história do Pequeno Príncipe. Foi usada grande parte da história, inclusive as ilustrações do livro, além dos clássicos diálogos como o do Príncipe com a Raposa. Mas ao contrário do que parece, o filme não se resume apenas a isso. A história dá voltas e conseguiu me surpreender. O final conseguiu ser tão bonito quanto o restante do filme.
O filme utiliza dois estilos de animações diferentes para a história da menina e a história contada pelo aviador, o que, ao meu ver, deu um charme especial para as cenas. As animações ficaram lindas e bem-feitas. O filme conseguiu transmitir a essência da história original e ficou realmente emocionante. A trilha sonora também está incrível e em alguns momentos até emociona mais do que as cenas.
Assim como o livro, o filme conta uma história que serve tanto para adultos quanto para crianças, e cada um tem sua respectiva forma de enxergar o que há por trás dos acontecimentos. As crianças podem até não ser capazes de captar toda a complexidade do que a história transmite, mas elas também podem tirar bons aprendizados dela. É uma história que vale a pena ser lida e assistida, não importa qual seja sua idade.

Trailers: