Livros *----* Química Perfeita

Química Perfeita
Química Perfeita. Autora: Simone Elkeles. Editora: Underworld. Páginas: 307.

Esse é o segundo livro com "Q". Faltam 3, aí leio todos os meus livros com "Q". Já tenho esse livro aqui há muito tempo, peguei ele por causa da capa, acho que nem olhei a sinopse. É um clichê clássico, a menina popular e o bad boy.

Brittany Ellis é a linda lider de torcida, loura, de olhos azuis, rica, e cobiçada por todos os garotos da escola. Mas a verdade é que nem tudo é perfeito na vida da princesinha, ela não tem um relacionamento muito bom com as pais, sua mãe é obcecada por aparências e é isso que ensinou à Brit, a ser perfeita. Seu pai, não é nada presente e ela ainda possui uma irmã mais velha, Shelley, que é especial.

Por outro lado, conhecemos Alejandro Fuentes, membro de uma gangue mexicana chamada Sangue Latino, que domina o tráfico da região. Ele estuda no mesmo colégio de Brit, mas tem seus próprios dramas. Perdeu o pai com apenas seis anos e tomou a responsabilidade de cuidar da sua família, sua mãe e seus dois irmãos. Ele faz isso como pode, assim deixa a vida levá-lo mesmo sabendo que não há muito futuro na decisão que fez, seu consolo é que possa impedir seus irmãos de seguirem pelo mesmo caminho.

" - Acho que todos nós temos problemas. Eu, por exemplo, tenho uma coleção de demônios que fariam inveja a um filme de terror."

A história dos dois se cruza quando a professora de Química, Sra. Peterson coloca os dois para trabalharem juntos na turma, eles seriam parceiros até o final do ano e precisariam desenvolver um projeto em conjunto. Surge então uma aposta ( + clichê?) de que Alex conseguiria dormir com a fera, que até então só tinha lhe dado patada. Ele então começa seu plano de sedução, mas não encontra exatamente o que esperava, porque ninguém é exatamente o que tenta mostrar. Alex começa a enxergar a verdadeira Brittany e gosta do que vê... Mas isso contradiz tudo o que ele é.. Os dois são extremamente divergentes, não só vivem em lados opostos da cidade, mas tem mundos completamente diferentes.

A autora nos mostra uma realidade repleta de pré-conceito, violência, discriminação e desigualdade social. Ainda abordou temas como sexo na adolescência, drogas e deficiência. Esses assuntos além de dar movimento à história, faz a gente pensar um pouco na sociedade em que vivemos. Porque infelizmente, vemos discriminação em todo lugar, se lá nos EUA são com latinos, aqui no Brasil são com os afrodescentes e isso não está certo. Mas, apesar de toda essa trama, não consegui me livrar da sensação de clichê e eu vivia me lembrando dos filmes da sessão da tarde enquanto lia o livro rs...

" - Com o tempo, a gente aprende a bloquear a dor. Quero dizer... Você sabe que a pessoa se foi e tudo mais. A mente continua confusa e você vive numa espécie de atordoamento geral. Então a vida vem e atropela tudo, inclusive a gente, com a sua rotina. Temos que seguir em adiante. Não há outro jeito."

Gostei do livro, mas não achei nada muito óh, foi uma boa leitura. Todos personagens são bem marcantes e cheios de personalidade, gostei disso. Mas Alex e Brit tiveram aquilo que muitos resenhistas chamam de amor instantâneo, em menos de vinte dias já estavam um morrendo pelo outro, se você não se importa com isso e gosta clichês é uma boa pedida. ;) Parece que esse é o primeiro volume de uma trilogia sobre a família Fuentes, fiquei curiosa com os outros livros, mas não é aquele desespero todo, lerei se tiver oportunidade. ;) #FicaaDica