Cheiro de livro novo: Fade - Desvanecer

Título: Fade - Desvanecer
Autora: Lisa McMann
Páginas: 236
Editora: Novo Século
Série: Wake
Anterior: Wake - Despertar
Próximo: Gone - Desaparecer

Mesmo tendo achado o primeiro livro um tanto estranho, o final me deixou satisfeita e fiquei curiosa para ler esse. Então prossegui com a trilogia e achei esse livro bom também. Na verdade, achei bem melhor do que o outro, mas ainda não tão bom  o suficiente.
Algumas das coisas que mais tinham me incomodado em Wake diminuíram bastante em Fade, como o fato de todas as pessoas serem muito esquisitas, parecendo até meio irreais. As pessoas ainda são bem bizarras, mas acho que como esse livro foca mais no convívio de Janie com Cabel, a história fluiu melhor (apesar de ainda achar os dois idiotas em algumas situações). Outra coisa que eu não tinha gostado foi a narração corrida, pulando partes. A autora continuou fazendo isso, mas dessa vez eu achei o livro com um detalhamento maior, e achei que as partes que ela pulou realmente não iriam fazer nenhuma diferença se fossem contadas.

Agora Janie e Cabel finalmente se entenderam e a vida dela parece estar começando a melhorar. Janie começou a trabalhar junto com Cabel na polícia, mas sua primeira missão não é tão tranquila quanto eles gostariam. A Capitã revela que talvez haja um predador sexual na escola deles e eles deverão investigar, cada um do seu jeito: Cabel tentando fazer amizades para descobrir coisas e Janie tentando interpretar sonhos estranhos. Mas a pior parte é que, se realmente existir um professor ou aluno que esteja cometendo esse tipo de abuso, Janie talvez tenha que ser usada como isca, já que é provável que essa pessoa seja um homem. Essa situação não deixa Cabel nem um pouco satisfeito, pois ele tem medo de que algo aconteça à Janie, mas a reação exagerada dele é prejudicial ao relacionamento deles. Além disso, eles não podem demonstrar que estão juntos, para manterem o disfarce na escola.
A Capitã também entrega a Janie as anotações da senhorita Stubin, dos anos em que ela trabalhou nas investigações. Com elas, Janie pode aprender muito mais sobre seu dom e aperfeiçoa-lo. Mas conforme ela vai aprimorando seu controle sobre os sonhos das pessoas, percebe que os efeitos que isso traz à ela são cada vez piores. Parece que as consequências de ser sugada para sonhos não são muito boas e não há nada que ela possa fazer para impedir a evolução disso.

"Porque nosso poder é motivador e proporciona força de movimento e uma sensação de poder mudar as coisas para aqueles que sonham com o fracasso.
Este é o mais compensador dos trabalhos, quando as coisas dão certo."

Apesar do futuro reservado para Janie não ser um dos melhores, ela consegue seguir adiante. A relação dela com Cabel sofre altos e baixos, mas eles sempre encontram apoio um no outro. Ela também encontra na Capitã Komisky uma amiga e confidente que ela nunca teve. Só fico triste pela Carrie não ser uma melhor amiga tão boa, acho que várias vezes a Janie precisou disso. Mas em algumas situações era bom que ela não estivesse tão presente. A senhorita Stubin também surge para ajudar Janie com o lance dos sonhos. E assim a vida dela continua.
Achei esse livro bem melhor do que o primeiro e estou realmente interessada em saber como tudo vai acabar para Janie. A autora conseguiu me deixar curiosa para ler o próximo e torço para que as coisas sejam melhores do que parecem. Alguém aí já leu esse?


Leia também:
Resenha da Isabela aqui.
Minha resenha de Wake aqui.


logoblog