Livros *----* Ponte para Terabítia


Olá people, desculpe a ausência essa semana, acontece que tive um prova sinistra ontem e precisei ficar um pouco off pra estudar. Mas aqui estou eu novamente rs.

Ponte para Terabítia. Autora: Katherine Paterson. Editora: Salamandra. Páginas: 160.

Vi esse filme há muito tempo e nunca tinha tido muita vontade de ler o livro, primeiro porque já conhecia a história e depois porque ela é triste... não gosto muito de dramas... então, a, primeira coisa que você precisa saber, caso já tenha visto o filme, é que ele é bem fiel ao livro, então não, o final não vai mudar, mas comparativos ficam para um outra postagem, nada de spoilers nessa aqui. rs

"[...] bem, só se pode mesmo é encarar o medo e não deixar que ele faça da gente um bagaço."

Jess é um menino de dez anos de idade que acabou de entrar na quinta série. O seu objetivo é ser o garoto mais rápido da escola. Para isso, ele está treinando todos as manhãs das suas férias de verão. E, assim segue a sua rotina, sem muitas supresas,  correndo e depois ajudando a mãe com as tarefas da casa, das quais suas duas irmãs mais velhas são ótimas em se esquivar, e as outras duas sao novas demais pra fazer.

Dessa forma, a unica coisa que acontece de diferente é a chegada de uma família nova na vizinhança. Eles tem uma filha Leslie e ela é bem esquisita, e, apesar de Jess ter tentado evitar, eles acabam se tornando amigos inseparáveis. Claro que isso rende algumas zoações dos colegas, mas eles decidem que isso não irá ter nenhuma mudança na amizade deles. Então, para fugir de tudo isso, eles  criam o mundo imaginário de Terabítia, um reino mágico, estilo Narnia, onde eles serão reis. Para chegar lá precisam se balançar numa corda presa a uma árvore e atravessar um pequeno riacho.

"Às vezes tinha a impressão de que sua vida era delicada como aquela florzinha do mato que chamam de dente-de-leão. Bastava um soprinho à toa, em qualquer direção, e tudo se desmancharia."

O livro é muito fofo, me identifiquei um pouco com o Jess, entendo ele e suas revoltas. A Leslie é alguém mais livre, vamos dizer assim, muito ativa e criativa, aprendeu cedo a não se importar com a opinião alheia. Engraçado o Jess ser o artista e não ela. Outra personagem que me chamou a tenção foi a professora Myers, gostei dela. :) Mas, é um drama, apesar de tudo. Eu preferi a mensagem final do livro que a do filme (olha eu fazendo comparações novamente --'). É só que, o livro termina de forma mais suave, mesmo sendo triste... a grande questão não são os dramas em si, mas é a forma como encaramos as tristezas que a vida nos impõe. ;) #FicaaDica.