Livros *----* O inverno das Fadas


O Inverno das Fadas. Autora: Carolina Munhoz. Editora: Fantasy- Casa da Palavra. Páginas:304.

Esse foi o quinto livro do Desfaio de Férias: #EuLeioNacionais, estou chegando lá. ;) Sophia Coldheart é uma fada Leanan Shíde, a fada do amor, ela encanta artistas e serve de musa para eles. Enquanto eles vão ganhando sucesso ela se alimenta de suas energias. Mas nenhum humano nunca resistiu muito tempo aos seus poderes e o fim de todos é sempre o mesmo, a loucura e a morte. 

Ela aceita seu fardo e sabe que para ela, se apaixonar pode ser fatal, para isso já basta o exemplo de sua mãe. Apesar de desenvolver uma espécie de amor por seus amantes, ela sempre esteve familiarizada com o fim, pois sabe que precisa da energia para viver e seu coração é frio como diz o seu sobrenome. Mas tudo parece ser diferente com William, o jovem escritor de Cumbria.

"Donald,  pregador  do  lema  da  liberdade  da  dor,  mostrava  que  o suicídio era o melhor tipo de fuga para os problemas. Só assim poderia descansar em paz. Poderia mesmo? Claro que não. Esse era um discurso mentiroso para pessoas fracas. As que não aguentam o dia a dia e pensam estar fazendo  bem  à  humanidade,  esquecendo  as  inúmeras  vidas destruídas com algumas tentativas de suicídio. Porque, sim, elas esquecem. E, sim, isso machuca muito."

Já li livros em que citavam fadas em algum momento, mas esse foi meu primeiro livro com uma protagonista fada e me surpreendi um pouco com a abordagem da autora, trazendo uma fada "má". Estava com muitas expectativas a respeito desse livro e fui atraída principalmente pela capa, que achei muito bonita. Uma coisa bem legal foi que autora aproveitou para homenagear grandes artistas  já falecidos, como Michael Jackson, basta conhecer a história deles, que você os reconhecerá. E, no começo de cada capítulo, tem uma frase de uma música relacionada a história, no final você encontra a playlist completa com o nome das músicas e os cantores. Mas sinceramente, não curti o livro e até cogitei a possibilidade de abandonar a leitura. 

O livro começa bem interessante, contando sobre Donald, um dos artistas que Sophia enfeitiçou, e seu fim trágico. Fiquei um pouco perdida, porque não tinha lido a sinopse do livro antes, mas logo a autora nos ambienta na história e no ser que Sophia é. Vi muitas pessoas reclamando sobre o amor instantâneo, mas isso nem foi o que mais me incomodou, primeiro porque entendi que  William estava sendo enfeitiçado e depois porque o envolvimento deles começou mesmo antes deles se encontrarem, através dos sonhos e, acho que com Sophia as coisas são assim mesmo. Mas, depois a história começa a perder um pouco do seu brilho e fica lenta, os personagens não me cativaram, a Sophia me pareceu um ser simplesmente muito egoísta e eu achei que algumas explicações do livro pareciam completamente fora de sintonia. x.x

A história também é carregada de misticismo, e muitas vezes chega a chamar as fadas como entidades e em outros momentos como um ser maligno. E, bem, muito estranho isso, porque ela não se mostra exatamente má, autora lhe diz que ela é um ser mal na sua essência, mas te leva a torcer por ela e entendê-la. É uma coisa meio disfarçada. 

Ela ainda puxa um pouco para o espiritualismo, falando de carma, reencarnação e deuses.. Há quem diga que vale de tudo para dar vida a uma história, mas não penso muito assim, gosto de saber sobre o que estou lendo e evito certas coisas, como livros sobre anjos caídos, livros hots e terror, em geral. Uma vez meu primo me disse que somos bombardeados demais com mensagens subliminares, em tudo que vemos e ouvimos, então o que nos pudermos filtrar disso tudo, é sempre bom. Penso um pouco assim, há coisas que não me fazem bem, não me trazem nenhum proveito e procuro evitá-las, como o terror, por exemplo, cheguei a me sentir um pouco assim com esse livro, com a sensação de que ele não estava me trazendo nada de bom...

Depois de quatro livros nacionais ambientados no Brasil, me surpreendi um pouco ao me deparar com uma história na Inglaterra, mas a autora já morou no exterior, então até que faz sentido. XD Então é isso galera, esse ganhou só duas estrelinhas. Não pretendo ler "A Fada", que parece seguir o mesmo estilo. Mas e vocês, já leram? O que acharam?
logoblog